Categorias
Blog do Ilgo

Kleber sofre recaída; Forlán desencanta

O empate do Grêmio, no final das contas, até que não foi tão ruim. Atlético Mineiro perdeu e Fluminense empatou.

O time mineiro ficou mais próximo, três pontos, mas com um jogo a menos. Dos quatro da ponta de cima, apenas o Vasco venceu.

Depois, vem o segundo pelotão, onde despontam São Paulo, Cruzeiro e Inter, todos com 34 pontos, a 7 do Grêmio. Mas são equipes com forte potencial para crescer na competição.

Penso que o título do brasileirão ficará com um desses clubes. Com vantagem para Atlético, Flu e Grêmio.

O Inter, que goleou o Flamengo, um saco de pancadas com grife, pode ser que agora comece a enfileirar bons resultados.

Muriel, que falhou no Gre-Nal e contra o Flamengo deu uma vacilada incrível, tem muita sorte de não ter um Paulo S’antana no calcanhar, como o Marcelo Grohe.

Grohe, que chegou ao seu quarto jogo sem sofrer gol. Pra mim, que não esperava tanto dele, uma agradável surpresa.

Graças a ele que o Grêmio não perdeu para o Palmeiras. Era um jogo para três pontos se Kleber não cometesse o desatino de ser expulso com 17 minutos de jogo.

Levou um amarelo por reclamação, o que é inaceitável ainda mais para um jogador marcado como ele, e depois outro por enfiar o cotovelo em Henrique numa jogada banal de meio de campo.

Kleber pediu para sair mais cedo. Depois, com fala de mansa de alguém movido a chá de maracujá, pediu desculpas aos colegas e à torcida.

Não fosse Grohe, e o alto nível de bravura de todo o time, o Grêmio teria perdido um jogo que era para vencer, porque o Palmeiras, ainda mais sem Valdívia e em crise, é um time vulnerável.

Não fosse a expulsão, talvez o Grêmio vencesse e hoje estaria a um ponto de Atlético e Fluminense. Bafo na nuca.

Contra o Atlético GO, quarta-feira, o Grêmio não terá seu ataque titular, porque Moreno estará a serviço de sua seleção. É tudo com André Lima e Leandro. Com a volta de Elano, as chances de vitória são enormes.

Já o Inter encara o SP no Morumbi, jogo de seis pontos.

O Inter deve entrar mais confiante depois da bela vitória sobre o Flamengo, com dois gols de Forlan, que enfim desencantou.

O técnico Fernandão estava feliz da vida depois da goleada, afirmando que o time está pegando junto.

Além do mais, pegaria mal perder para seu ex-subordinado, o Dorival Jr. Sem contar, que uma derrota custaria seu emprego.

Pelo que soube, Fernandão e Dorival não se cumprimentaram antes do jogo.

Sinal de que a saída de Dorival e a posse de Fernandão foi mesmo algo pouco ético. Fosse uma transição tranquila, o abraço entre os dois seria algo muito natural. Faltou esse abraço entre dois profissionais que conviveram um bom tempo juntos.

Se Fernandão evitou o encontro com Dorival, a maior parte do time foi ao encontro do ex-treinador.

JUNIORES