Categorias
Blog do Ilgo

Uma noite na vice-liderança

Grêmio dorme na vice-liderança. Assumir o primeiro lugar agora seria muito bom para dar confiança, lotar o Olímpico a cada jogo e aí, como uma onda avassaladora, continuar somando resultados positivos e encaminhando a conquista do título.

Fora isso, seria ótimo para Odone & Cia. disputar a eleição como líder do Brasileirão. Depois, se cair de posição, é outra história.

É difícil entender e aceitar uma eleição em meio à disputa do campeonato.

O importante, como diz o Luxemburgo, não é assumir o primeiro lugar agora, mas continuar na ponta de cima e dar a arrancada decisiva na reta de chegada. Chega de cavalo paraguaio!

No jogo desta noite no Olímpico o Grêmio foi mais ou menos isso, um cavalo paraguaio. Teve uma arrancada que deixou o Atlético GO completamente atordoado. Era o momento de matar, liquidar o jogo.

O Grêmio fez dois gols. Aliás, o único jogador realmente competente marcou os gols. Elano fez 2 a 0 e tudo parecia se encaminhar para uma goleada.

Mas aí o técnico adversário mexeu no time e tudo mudou. O técnico Jairo Araújo, que não veste Armani, colou Giaretta no Elano. Depois, o Atlético descontou e o jogo não foi mais o mesmo. E o que fez Luxemburgo, o estrategista? Nada. Destaco isso para que ninguém fique imaginando que Luxemburgo é um técnico infalível e insubstituível. Seu trabalho é muito bom, mas acompanhado de alguns equívocos.

O segundo tempo foi equilibrado. Sim, o Grêmio, candidato ao título, penou dentro de sua casa, estádio lotado, torcida mais que entusiasmada. Até o último minuto o Atlético, forte candidato ao rebaixamento, ameaçou melar a festa gremista.

Luxemburgo mexeu no time, mas os que entraram só fizeram piorar a situação. Marco Antônio, o eterno, e Rondinelly nada acrescentaram. Elano saiu cansado sob aplausos e grito da torcida. Nada mais justo.

Leandro, que cada vez mais demonstra grande potencial para ser para todo o sempre um jogador de grande potencial, também saiu. E, pelo que vinha não-jogando já saiu tarde. Mas Luxa, em vez de trocar um atacante e um meia por dois meias, poderia ter colocado outro atacante. O Atlético sentiu-se encorajado a arriscar mais e por pouco não empatou nos acréscimos.

Antes, Werley teve chance de acabar com a angústia e afastar todos os temores ao cabecear para fora, quase embaixo da goleira, após cabeceio com açúcar e afeto de André Lima.

O melhor da noite foi mesmo a torcida. Lotou o Olímpico, muita festa, muita alegria. O maior público do Brasileirão até agora.

Cotação IW

Marcelo Grohe – Falhou no gol, mas fez defesa importantes. 7

Pará – Outra atuação convincente. 7

Werley – Não pode perder aquele gol no final. 6

Gilberto Silva – de novo um gigante na área. 8

Pico – Segue evoluindo. Precisa ir mais ao fundo. 7

Souza – Parece que perdeu o foco na marcação. 6

Fernando – Marcou forte como sempre, mas já jogou melhor. 7

Elano – Dois gols e nada mais precisa ser dito. 9

Zé Roberto – Muita movimentação. Perdeu um gol. 8

Leandro – A continuar assim, será uma eterna promessa. 6

André Lima – Sobrou disposição. Precisa ser mais acionado. 7

Marco Antônio e Rondinelly – Poderiam pensar em formar uma dupla caipira. Sem nota