Categorias
Blog do Ilgo

Estou cansado de perder!

O Conselho Deliberativo do Grêmio me surpreendeu. Confesso que realmente estava temeroso. Imaginava mesmo que a eleição se decidisse ali entre 300 e poucos conselheiros, frustrando a mim e aos mais de 50 mil sócios do clube.

O presidente Paulo Odone confirmou seu favoritismo no CD, atingindo 151 votos, praticamente 50%.

A chapa de Homero Bellini chegou aos 67 votos e vai para o segundo turno. Já o Grêmio Prata, do bravo Eldir Antonini, somou dois votos.

Agora, o número alcançado pela chapa liderada por Fábio Koff sim é que superou as expectativas mais otimistas, inclusive do próprio Koff. Foram 93 votos.

Esse desempenho de Koff no CD mostra que é grande o número de conselheiros que consegue fazer a leitura correta desse momento histórico.

Fábio Koff, o dirigente esportivo de maior sucesso em todos os tempos no Rio Grande do Sul, colocou todo o seu prestígio, sua história vitoriosa, seu talento, sua credibilidade e seriedade à disposição do Grêmio.

O torcedor do Grêmio terá o privilégio de poder votar em Koff. Odone e Bellini são bons nomes, e também merecem presidir o clube, mas ninguém merece mais que Fábio Koff. Ainda mais na Era da Arena, ideia lançada por ele no Conselho Deliberativo na década de 90.

Agora, ninguém merece mais que o torcedor do Grêmio ter de volta o presidente multicampeão. Odone e Bellini terão novas oportunidades. Podem esperar.

E quando a vez deles chegar, não tenho dúvida: o Grêmio terá retomado o caminho das vitórias, dos títulos, das consagração mundial.

E eu terei lançado uma nova cerveja. Talvez a TRI, da Libertadores, ou, por que não?, a BI do mundo.

Mas antes é preciso que o torcedor não esqueça que o Grêmio é grande demais para ficar só lembrando a saída da segundona ou comemorando vagas na Libertadores, títulos do Gauchão, o Mazembe Day e outros fracassos do seu maior rival.

O Grêmio pode mais, muito mais.

Também não quero mais correr o risco de acordar de manhã e saber que o Grêmio contratou o auxiliar de treinador do Inter. Quero planejamento, coerência e decisões criteriosas.

Por isso, na minha primeira eleição no Grêmio, vou de Koff.

Estou cansado de perder!