Categorias
Blog do Ilgo

Guiñazu e os elefantes

Eu tenho alguns gostos secretos. Na verdade, nem tão secretos assim porque faz tempo escrevi sobre isso. Um deles em especial provoca risos e ares de espanto e incredulidade.

Eu gosto de Fanta uva. Pronto, falei.

Como é que alguém metido a cervejeiro e apreciador de vinho, de arroz com feijão e guisadinho, pode gostar de Fanta uva, que de uva não tem nada?

Explico: a Fanta uva me lembra a infância, me lembra a Grapette, não essa que vi tempos atrás em garrafa pet de dois litros, e da qual me afastei, me sentindo ofendido. Onde já se viu macularem a ‘minha’ Grapette banalizando-a em litrão.

Bebida em litrão só os outros refrigerantes. Nem cerveja em litrão eu curto. Quem faz cerveja boa não a despeja num litrão. Por isso, as minhas, que EU considero boas, s´em long e 600ml, que é um tamanho digno.

Agora, outro gosto secreto:

Eu gosto do Guiñazu.

Gosto desde o tempo do Libertad, pra onde ele retorna agora talvez como o elefante que se recolhe para morrer em paz, na solidão, ele e sua tromba.

Trabalhava no Correio do Povo quando conheci Guinazu vestindo a camisa do time paraguaio. Sugeri sua contratação pelo Grêmio. Chegou a haver um interesse, mas pra variar o pessoal do Grêmio vacilou e o Inter o contratou em 2007.

Gosto tanto do Guinazu que escrevi algumas vezes que ele deveria, logo ao entrar em campo, levar um cartão amarelo preventivo pelos carrinhos violentos que ele daria logo em seguida. E que esse amarelo fosse aplicado principalmente em Grenais, claro.

O Inter com Guinazu chegou a ser parecido com esse Grêmio guerreiro e indignado, que em certa época não aceitava a derrota e muito menos deixava de vencer um Gre-Nal quando o adversário estivesse com dois jogadores a menos.

Guinazu está em fim de carreira. Mesmo assim, eu gostaria de vê-lo vestindo a camisa tricolor. Nem que fosse apenas para enfrentar a LDU, o jogo-chave do ano para o Grêmio.

Eu sei que vão dizer que estou febril, delirando da mesma forma como o Luis Fernando Veríssimo, que revelou ter passado por delírios muito loucos enquanto esteve hospitalizado.

Até admito que possam ter razão a meu respeito, mas eu gostaria de ver Guinazu ao lado dos outros ‘velhinhos’ do time na campanha pelo tri da Libertadores.

Ao menos eu teria certeza de que a velha alma guerreira estaria de volta com Guinazu em campo.

Mas sem o cartão amarelo preventivo.

MAICON

Tenho escrito que o Grêmio deve contratar um grande lateral, em especial um direito, porque ainda há esperança que Fábio Aurélio vá finalmente jogar, e ele foi um grande jogador.

No programa Ganhando o Jogo, ontem, sexta-feira, na Guaíba, repeti que o Grêmio deveria contratar o Maicon.

Ele está no Manchester City, há meio ano. Louco pra voltar ao Brasil. Ele é amigo do Luxemburgo, com quem foi campeão pelo Cruzeiro em 2003 – é mais um daquele tempo vitorioso do técnico -, e mantém contato com Elano e Zé Roberto, que eu sei.

Maicon seria excelente por dois motivos: por ele em si, e porque colocaria Pará no seu devido lugar, o banco de reservas.

Repito, vendo os outros times se armando, o Grêmio só será campeão da Libertadores se formar uma espécie de seleção, nem que seja uma do passado.

Só falta agora o Grêmio perder Maicon para o Inter.