Categorias
Blog do Ilgo

Meu temor e minha esperança

Começo a ficar preocupado com o time que deverá enfrentar a LDU, no jogo-chave do Grêmio em 2013.

É o confronto que vai definir o tamanho do Grêmio na temporada.

Dia desses, participando de um programa de rádio, um repórter escalou o provável time para estrear na Libertadores, a partir do que estaria à disposição do treinador naquele momento.

Dida; Pará, Saimon, Cris e Fábio Aurélio…

Quando ele chegou aí, eu contestei: Fábio Aurélio???? Quem pode garantir que ele terá condições de jogar?

O Luxa, ele respondeu tranquilamente, acrescentando que o jogador estava começando a treinar, etc.

Aí eu lembrei que antes muita gente havia garantido que ele jogaria, chegou a concentrar e… não jogou porque voltou a sentir uma lesão, talvez a mesma que não permite que ele jogue já faz um bom tempo.

Pois bem. Fábio Aurélio, como eu imaginava, está fora da estreia e, infelizmente, não sei se um dia irá jogar com a camisa do Grêmio. Uma pena, realmente uma pena, tanto pelo profissional como pelo clube, que está pagando por um jogador que já chegou aqui com um histórico de contusões preocupante.

Se pudesse jogar, Fábio Aurélio certamente daria a qualidade que a lateral-esquerda só viu recentemente com Júlio César, que, curiosamente, foi despachado pelo todo-poderoso Luxemburgo.

O resultado é que o Grêmio está sem um lateral-esquerdo confiável para jogar contra a LDU. Resta torcer para que o menino que veio do Juventude, o Alex Telles, não sinta o peso da camisa e da responsabilidade do jogo.

É possível que Luxemburgo tenha outra alternativa. Mas acho que é mesmo o caso de apostar no guri de Caxias.

Entre escalar um lateral-direito desses escanteados e deslocar o Pará para o lado em que ele joga pior, sou mais investir e confiar no Alex.

Qualquer que seja a s0lução, me preocupa essa defesa. Pará é razoável, Saimon é instável, Cris uma incógnita e o lateral-esquerdo… Sem falar que eles nunca jogaram juntos.

A esperança está no meio de campo, setor mais sólido e eficaz do time. Mas Souza não renovou. É dúvida. Se ele não jogar entra quem? Foi o que perguntei para o tal repórter nesse programa. Ele respondeu: Marco Antônio é o mais cotado.

Foi como um soco no estômago. E o pior é que percebi um leve sorriso debochado no repórter, que repetiu: Marco Antônio, e ainda argumentou, provocativamente, que ele havia jogado bem como segundo volante.

É claro que reagi: ele não tira a bola de ninguém, só cerca, etc, etc e etc.

Se realmente confirmar o time projetado pelo repórter e que está se desenhando ainda pior, porque Fábio Aurélio não vai jogar, vou me dar por satisfeito se perder só por um gol.

Ah, no ataque, Marcelo Moreno e Willian José, dois homens de área. Não sei como está o Bertoglio, mas penso que o argentino seria uma opção mais adequada. Até porque lembro que ele Moreno fizeram boas partidas juntos no ano passado.

O fato é que começo a temer pelo pior.

Minha esperança, neste momento, é a estrela de Fábio Koff.

DEMISSÃO

Por falar no presidente multicampeão, ele calçou a chuteira e entrou em campo ao afastar um de seus assessores, que acusou Luxemburgo de ter vetado nomes como o de Lugano.

Mesmo sendo verdade, o que não duvido, não era o caso de mandar e-mail para tornar pública essa situação no momento em que o foco todo deveria estar unicamente em armar um time forte para superar a LDU.

O Grêmio precisa de um time poderoso é para esse confronto. Depois, poderá ser tarde.

Então, sem time forte e com um dirigente para tumultuar, só restou ao presidente afastar o assessor por falar demais e em hora imprópria.

Se Koff não age, ficaria mal com Luxemburgo.

Não acho que seja um bom momento para ficar mal com Luxemburgo.

Agora, o que leva um gremista de boa formação, economista e com especialização em marketing, a cometer uma tolice dessa?

Aliás, tem mais gente falando demais, causando temor, angústia e até pânico na torcida.