Categorias
Blog do Ilgo

Grêmio candidato e o prejuízo pela interdição

O Grêmio mais uma vez vai brigar pelo título do Brasileirão. Já o Inter outra vez será apenas um coadjuvante.

No ano passado foi assim e tudo indica que a história irá se repetir. O Inter deverá ficar ali pela 12ª colocação, enquanto o Grêmio vai de novo para a ponta de cima da tabela e, se contratar ao menos um grande zagueiro, terá tudo para ser campeão.

Não escrevo isso por soberba – até porque a tal soberba atribuída aos gremistas durante longos 23 anos passou para o lado vermelho desde o título mundial sobre o Barcelona.

Pode até ser um pouco de loucura minha, desespero por completar mais de uma década sem grande título. Ou simplesmente desejo. Mas eu acredito que o Luxemburgo tem condições de levar esse time, também aproveitando mais a base e afastando alguns jogadores que só comprometem, ao título brasileiro.

É claro que se Luxemburgo não mudar sua atitude e seu pensamento a respeito de alguns jogadores, ficará mais uma temporada dando explicações e repetindo que ‘as derrotas pertencem aos campeões’.

E o atual campeão gaúcho? Qualquer projeção isenta que se faça não pode ignorar um dado muito importante: o Inter não terá um jogo sequer em sua casa verdadeira, o Beira-Rio. De certa forma, será sempre um visitante, um andarilho.

Se o Inter ainda tivesse um super time, até poderia superar esse fator. Não é o caso. O time colorado é bom, mas não o suficiente para enfileirar quatro vitórias seguidas -conforme preconizam alguns setores da imprensa-  seja contra quem for. Até porque as arbitragens do Brasileirão não são tão benevolentes quanto as do Gauchão, do qual o Inter saiu sem um cartão vermelho sequer, o que por si só merece ao menos um mínimo de reflexão.

Então, Dunga terá de fazer milagre e contar com uns dois ou três reforços de qualidade para brigar ao menos por uma vaga na Libertadores de 2014.  Ah, e não pode perder Damião, que pela terceira janela seguida está ‘praticamente vendido’ por uns 20 milhões de euros.

Sobre perdas, o ideal é que o Grêmio pudesse manter Fernando até o final do ano. Se ele sair, terá de vir outro volante com boa pegada na marcação e alguma qualidade no passe.

CANDIDATOS

Os rivais do Grêmio na corrida pelo título são Atlético Mineiro, Corinthians e Fluminense. O Santos, se não vender Neymar, também é candidato. E é só.

Os demais são figurantes.

Candidatos ao rebaixamento: Bahia, Portuguesa, Vitória, Criciúma, Náutico, Atlético PR e Vasco.

PREJUÍZO

Elano falou hoje na coletiva sobre a falta que fez na Libertadores a torcida não ter ocupado aquele espaço de oito mil lugares na Arena.

A culpa da interdição deve-se ao lamentável episódio da queda do alambrado.

A Polícia Civil está indiciando os engenheiros, dois deles da OAS, a parceirona mui amiga do Grêmio.

Os engenheiros serão indiciados por dois crimes: lesão corporal culposa e exposição de outras vidas ao perigo iminente.

Quem sabe mais um indiciamento: prejuízo irreparável ao Grêmio.

O que era para ser um muro de contenção era na verdade um peça frágil, mais apropriada, talvez, para uma sacada de um dos apartamentos que a empreiteira irá construir na área que o Grêmio valorizou.

Elano admitiu que sentiu a falta da torcida vibrando naquele local.

Então, parte da eliminação do Grêmio da Libertadores pode ser atribuída também a OAS.

E quem paga esse prejuízo?

Ninguém, é óbvio.

Mas é preciso deixar muito claro isso: a parceirona parece ter falhado de maneira inaceitável para uma empresa do seu porte e comprometeu a campanha do Grêmio na Libertadores. Pior que ela só o Cris.

Vejam:

Professor no Laboratório de Metalurgia Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Telmo Strohaecker, auxiliou o Instituto Geral de Perícias (IGP) e disse que o laudo mostrou que o guarda-corpo usado no setor onde fica a torcida Geral do Grêmio não tinha nem a metade do que é exigido para uma sacada normal, de um apartamento, por exemplo.

– Causou-me surpresa a liberação desse setor. Foi uma irresponsabilidade. Não deram a devida importância e não atenderam às normas. Liberaram um local que não tinha nenhuma condição de uso. O carregamento que ele suportava era menos que a metade do exigido nas normas da ABNT para uso coletivo. Quando for para ginásios ou estádios, tem que ser feito uma avaliação à parte. A norma é para uma casa de prédio. Mas quando é apara estádio exige cálculo específico – salientou o especialista.

Por fim, só uma perguntinha: o Corpo de Bombeiros não viu isso?

VIOLENTO

Bolívar foi eleito pelos jogadores o mais violento do futebol brasileiro. Em segundo, quem? Cris.

Depois, aparecem Pierre, Airton e Edinho. – quatro ‘gaúchos’ no top five.

Vejam esse lance do Bolívar, que nem recebeu amarelo e isso que não foi no Gauchão:

http://outroangulofotografia.blogspot.com.br/2011/11/sem-maldade.html?m=1