Categorias
Blog do Ilgo

Gordura, celulite e lipoaspiração

A delirante projeção de vencer quatro jogos seguidos no início do Brasileirão não resistiu a0s primeiros 15 minutos do jogo em Salvador. O Vitória fez dois gols, entrando com facilidade na área da festejada dupla Moledo/Juan. O Inter correu atrás e conseguiu empatar.

O empate – e não há desonra em empatar na Bahia – acabou sendo um ótimo resultado, mas comprometeu os cálculos otimistas de certos setores da crônica esportiva que falavam em gordura a ser acumulada antes da Copa das Confederações.

Cálculos esses feitos a partir de uma premissa traiçoeira, fundamentada em jogos contra o Santa Cruz – um time da série C – e outros de séries ainda inferiores.

Temos então que o Inter começou passando por uma lipoaspiração.

Pelo que jogou no segundo tempo, o Inter mostrou que pode começar a acumular gordura já contra o Criciúma, mas dificilmente será como esperam seus admiradores.

Já o Grêmio, que não foi brindado por gorduras, celulites e nada parecido, fez o que tinha de fazer: venceu o Náutico.

Fosse em sua casa de verdade, a Arena, acredito que a vitória teria sido por vantagem maior. O público seria pelo menos o dobro. Afinal, depois de meio ano, o Grêmio faria seu primeiro jogo num domingo à tarde em sua nova casa.

O placar de 2 a 0 foi justo. O Náutico pouco ameaçou, e o Grêmio criou algumas boas oportunidades.

Agora, mais uma vez não gostei do que vi.

O Grêmio ganhou muito mais em função da maior qualidade de seus jogadores, em especial Zé Roberto. Há muita condução de bola, poucas jogadas trabalhadas, excesso de passes errados, como se os jogadores tivessem se conhecendo agora.

Os chutes de fora da área pareciam mirar o pipoqueiro na arquibancada. Os chutes que foram a gol eram fracos, colocados, fáceis para o goleiro Felipe.

É preciso considerar que o time vem de um trauma que só será superado com um pouco mais de tempo. A eliminação prematura da Libertadores mexeu com todos, inclusive com os profissionais. Abalou a confiança, que só será recuperada com vitórias e, se possível, boas atuações.

Como disse o Luxemburgo, cada jogo é uma decisão. Portanto, são mais 37 decisões pela frente.

O importante é pontuar e se manter sempre na ponta de cima da tabela, e deixar que outros se preocupem em acumular gorduras.

REFORÇOS

O primeiro reforço é garantir Kleber. Estou convencido de que, em forma e com moral, Kleber não deve nada a Barcos e a Vargas. O mesmo vale para Marcelo Moreno.

O campeonato é longo e Kleber deve ser mantido. A não ser que venha outro de igual ou superior qualidade.

Os outros atacantes do grupo são duas promessas, Lucas Coelho e Mamute, e um mistério, Welliton.

Garantido Kleber, é fundamental contratar um zagueiro, um grande zagueiro, que chegue e saia jogando.

Se for possível, que se mantenha Fernando. Caso contrário, que venha outro de bom nível, que até pode ser o Rodrigo Souto, 29 anos, do próprio Náutico. Pensando bem, Rodrigo Souto poderia se contratado mesmo que Fernando fique.

Gérson, zagueiro destaque da base, poderia ser testado como primeiro volante, já que seu problema parece ser a altura, inferior a 1m80.

Fora isso, como André Santos está mesmo saindo, um lateral-esquerdo com muita qualidade ofensiva e um lateral direito também eficiente no apoio.

CERVEJA

Atendendo a inúmeros pedidos, inclusive de outros estados, estou lançando mais um lote das cervejas campeãs, talvez o último. Portanto, quem quiser a 1983, a Kidiaba, a Mazembier e a Olímpica, que se mexa.

Quem pede recebe, que se desloca tem preferência.

Não tenho como avisar um por um dos que pediram as cervejas.

Bem, são cervejas tipo pilsener, estilo cerveja tcheca, de qualidade superior.

São long neck.

O kit presente, com quatro unidades – a escolher -, custa 38 reais.

Caixa com seis – também a escolher – custa 48 reais.

Pedidos: [email protected]