Categorias
Blog do Ilgo

A herança de Luxemburgo

Enfrentar o Atlético Paranaense em Curitiba sempre foi muito difícil. Sábado, na estreia de Renato, isso ficou confirmado. Assim, o 1 a 1, ainda mais depois de sair perdendo, é um bom resultado.

O que preocupa é que o time mais uma vez jogou mal.

Ainda foi o time de Luxemburgo que estava em campo. Nunca pensei que fosse escrever o que pensei no decorrer do jogo ao ver o estreante Moisés na lateral-direita.

Que saudade do Pará! Se a gente quer manter um jogador mediano de titular indefinidamente, contrate jogadores piores que ele. E assim vai Pará se eternizando, e eu sentindo a sua falta.

É claro que é pouco para julgar mais esse jogador oriundo do Juventude, mas pelo que vi sábado ele não tem condições de disputar posição com Pará. Dizem que ele se dá melhor como volante, vamos ver e torcer para que seja verdade.

É importante destacar que a linha de defensores do Grêmio é muito jovem. Jovem demais. O mais experiente é Werley, que é quase um bebê perto de Cris, que entrou no finalzinho e me causou calafrio.

Pois essa defesa saiu-se satisfatoriamente. Mesmo jogando em casa, o Atlético teve poucas chances de gol, ainda mais mais que o Grêmio, e isso é outra coisa preocupante.

No gol do Atlético vi um descuido de marcação envolvendo Moisés e o meio de campo. Depois, Barcos, lembrando Renato contra o Hamburgo, cortou pra dentro e chutou forte cruzado com o pé esquerdo, golaço.

O empate foi bom, a atuação é que realmente ficou a desejar, mas nada que Renato não possa resolver.

A herança de Luxemburgo é pesada.

JOGAÇO

O Inter fez a sua parte: venceu em casa. Foi sempre superior ao Vasco, um time à beira do abismo, e venceu com autoridade. Levou um susto, mas teve tranquilidade e personalidade para seguir martelando. A vitória por 5 a 3 foi um prêmio ao Inter.

Começo a acreditar que o Inter vai mesmo conquistar uma vaga na Sul-Americana.

O ruim para os colorados é que Damião deve mesmo ser vendido. O técnico Dunga está inconsolável. “Não estou preparado para perder Damião, e o presidente está?”, questionou Dunga, mostrando sua insatisfação.