Categorias
Blog do Ilgo

Renato, Damião e a novela Redenção

Depois de uma longa semana de especulações, compra e venda de jogadores, fofocas e afirmações curiosas como essa de que ‘Scocco é o cara’, além de uma bem-vinda derrota e deliciosa humilhação de RG no Paraguai, eis que estamos diante de mais uma rodada do Brasileirão.

O Inter pega o Flamengo de Mano Menezes e Pelaipe – quem não sabia que o ex-diretor gremista levaria Mano para a Gávea? – enquanto o Grêmio encara o Criciúma e sua legião de ex-gremistas, entre eles o herói Galatto, incrivelmente na reserva do time catarinense.

Confiram essa matéria:  http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/gremio/noticia/2013/07/gremio-vai-encarar-um-criciuma-com-11-jogadores-com-passagem-pelo-olimpico-4203936.html

São dois jogos difíceis, como todos os jogos do campeonato. Não tem barbadinha.

Mas arrisco dizer que o Grêmio tem o jogo mais complicado. O adversário não está bem e é candidato forte ao rebaixamento. O problema é que historicamente os jogos em Criciúma são muito difíceis para a dupla Gre-Nal.

Problema maior ainda está no próprio Grêmio. Renato mais uma vez não poderá repetir o time, e o que é pior, terá o coração/alma da equipe muito prejudicado.

Adriano e Souza, a dupla de volantes, está fora. Havia a ameaça de que também Zé Roberto não poderia jogar. Mas ele acabou confirmado na delegação.

Vamos aos substitutos: Ramiro e Matheus Biteco. O segundo é sem dúvida um jogador com potencial enorme e que pode começar a ganhar um lugar na equipe em pouco tempo.

Já o Ramiro me parece um jogador comum, muito esforçado, movimentação intensa, mas com um problema sério na minha opinião: é baixinho demais para jogar como volante. Nesses tempos em que a bola aérea é decisiva considero um risco jogar com volante de baixa estatura. Se Matheus ainda fosse alto, compensaria um pouco.

Então, penso que Renato perde oportunidade de escalar Riveros. E aí acho que Renato está errando, porque sequer está levando o paraguaio para Criciúma. Em função do limite de três estrangeiros, ele optou por Maxi Rodrigues. Em outra circunstância, seria um decisão acertada, mas já que faltam os dois volantes titulares, seria recomendável que jogasse com Riveros, jogador experiente, no lugar de Ramiro, um aprendiz.

Resta esperar que os dois jovens escalados correspondam e que Riveros realmente não faça falta.

É de saudar-se, por outro lado, o retorno de Barcos. É importante que o time tenha um atacante de área, mesmo que isso custe o sacrifício de Kleber, que volta para o banco.

DAMIÃO, a Redenção

Os mais antigos vão lembrar de uma telenovela dos anos 60, Redenção. Ficou dois anos no ar. Um recorde.

Pois a novela Damião vai superar a Redenção, que tinha como astro um Francisco Cuoco garotão.

E eu era um piá do Interior que sonhava em assistir um jogo do Grêmio ao vivo, um Grêmio que eu conhecia só pelo rádio e pelos jornais.

Pois eu vivi o suficiente para ver o recorde de Redenção ser superado por essa novela que se arrasta há mais de dois anos, abrindo e fechando janelas.

Apesar dos números astronômicos anunciados e nunca confirmados, Damião segue em Porto Alegre. Bom para a torcida colorada, que na verdade quer que seu goleador permaneça. Ruim para a direção, que alega precisar desse dinheiro para fazer frente a despesas.

A última proposta seria do Napoli, 22 milhões de euros.  Sinceramente, eu não acredito, não neste momento em que a Europa atravessa uma crise terrível.

Mas já ouvi boatos de que a proposta estaria em 25 milhões de euros. Antes que eu dê um ponto final nessas mal traçadas linhas, a oferta pode chegar aos 30 milhões e, se vacilar, o Inter venderá Damião por valor superior ao que o Santos obteve por Neymar.