Categorias
Blog do Ilgo

Grêmio em busca de um meia

O Grêmio busca um meia para ser titular.

Com isso, fecha o grupo para a Libertadores, a não ser que algum fato novo ocorra e obrigue nova ida ao mercado.

Conforme apurei, o meia precisa ser articulador, combativo e criativo. Meia tipo jarra, com mãos na cintura enquanto os colegas marcam, está fora do cogitação. Douglas, portanto, sem chance.

Um exemplo do que é pretendido: Everton. O meia foi destaque ao Atlético Paranaense na Copa do Brasil e no Brasileirão. Estava emprestado pelo Flamengo, para onde retornou e assinou contrato por quatro anos.

O Grêmio quer um meia assim, com essas características. Não é fácil, mas uma garimpagem cuidadosa sempre é capaz de encontrar uma pedra preciosa.

Quem quiser colaborar com o clube pode encaminhar sugestões aqui para o Boteco.

O jornal Zero Hora talvez até já tenha publicado no nome do jogador pretendido. Afinal, dias atrás abriu duas páginas citando 100 jogadores que poderiam entrar nos planos da dupla Gre-Nal.

Quando li o título da matéria não pude deixar de lembrar desses livros tipo ‘1001 filmes para assistir antes de perder a visão’ ou ‘1001 lugares para conhecer antes de partir desta para melhor’.

É claro que, estando em férias em algum canto do litoral catarinense, não me detive nos nomes citados. Havia coisas melhores a fazer, vocês sabem.

O fato é que esse tal meia vai fechar o grupo, o que me soa como ameaça.

Vejamos: o time começa o ano com problemas nas laterais. Nas duas laterais. Pode ser que Wendell confirme as qualidades exibidas nas vezes em que entrou no lugar de Alex Telles. É uma possibilidade, até forte, mas até prova em contrário apenas uma possibilidade. Assim, a lateral-esquerda estaria suprida.

Mas e a direita? Pará, pelo visto, segue mais firme que essas rochas assoladas pelas ondas do mar. E isso é desestimulante, para não escrever broxante. Por que não começar dando chance para o Tinga?

Na zaga, não vejo maiores problemas.

O meio de campo está bem de alternativas, mas não empolga. Até porque falta esse meia que todos os gremistas sonham, um Maradona em pedra bruta à espera de ser descoberto e lapidado.

Sei que muita gente torce o nariz para Edinho, mas é o tipo de jogador que pode ser útil numa Libertadores. Penso que o time precisa mesmo de um jogador com mais imposição física nessa zona do campo, alguém que compre briga pelo torcedor em campo.

Na frente, a grande preocupação.

Vou fazer duas previsões:

Kleber vai trombar muito com os adversários, reclamar demais do árbitro até levar cartões, vai marcar poucos gols e sem dúvida irá dar boas entrevistas.

Barcos vai começar empolgante, fazendo gols e dando assistências geniais, irá tapar um dos olhos no gestual ‘pirata’ e irá visitar crianças nos hospitais, sempre com a mídia por perto. Depois, irá cair de rendimento e irão surgir especulações de que está brigado com o técnico (como foi com Luxemburgo) ou então prejudicado pelo esquema, como com Renato. Por fim, com ar consternado, dará entrevistas comentando sobre salários em atraso.

Ah, Barcos ainda irá lamentar não ter sido convocado para disputar a Copa pela Argentina – sim, ele acredita que isso possa acontecer -, podendo até entrar em ‘depressão’, o que seria outra desculpa para sua inevitável queda de rendimento.

A salvação é Lucas Coelho deslanchar e Mamute provar que seu destino não é sair do juvenil direto para o time veterano.

Agora, desses jovens todos que estão no Olímpico/Arena, esperança mesmo tenho no Jean Deretti. Mas posso me quebrar, como já aconteceu tantas vezes.

Sobre o goleiro: Dida não fará falta. Ele foi muito bem no Grêmio, mas Marcelo Grohe reúne todas as condições de marcar história como um grande goleiro. Fora isso, há ótimos suplentes para a posição.

A respeito do técnico Enderson Moreira não opino mais. O que eu tinha a dizer já foi dito. Espero estar errado mais uma vez.