Categorias
Blog do Ilgo

Sem Tite ou Felipão, quem sabe Adilson com Espinosa?

Tite teria respondido que não aceitar treinar o Grêmio. Se é verdade, ele está fora.

Resta Felipão. Não há registro de negativa de Felipão, portanto ele continua na lista.

Está na ponta de cima, mas ao contrário de Tite não é unanimidade.

E Felipão sabe disso, a não ser que tenha se abrigado em algum mosteiro para repensar sua vida.

Deve ser duro para o sujeito que até pouco tempo estava por cima perceber um índice significativo de rejeição por parte da torcida a qual deu tanta alegria duas décadas atrás.

Felipão, pelo jeito, se mantém em silêncio. Deve estar mordido por ser o segundo na parada de sucesso entre os gremistas.

Ele gostaria, claro, de ser aclamado, como seria em outros tempos.

Hoje, se Felipão responder sim, a maior parte da torcida vai festejar, mas já sem o mesmo entusiasmo. Outros vão insistir que ele está acabado ou, remoendo mágoas e rancores, criticar o tempo que ficou distante do clube que diz amar.

Eu receberia Felipão de braços abertos, feliz, empolgado até.

Mas não nego que prefiro Tite.

Felipão é a segunda opção. E isso deve estar mexendo com ele.

Saindo Tite, Felipão assume a liderança e talvez até se aproxime da unanimidade depois que a torcida se der conta dos nomes que restam.

Quando e se isso ocorrer, é capaz de Felipão aceitar.

Agora, a tarefa da direção é das mais espinhosas.

Só espero que o critério para contratação seja técnico, não político, sem preocupação eleitoral.

ESTRANGEIRO

Sou contra técnico estrangeiro neste momento. Para um começo de temporada, sim. Em meio a uma competição que reserva quatro vagas para o rebaixamento, nunca.

O argentino que treina o Palmeiras já perdeu três seguidas. Bateu o desespero lá.

O argentino está tentando montar uma equipe, trocando pneu com o carro andando.

O estrangeiro que viesse para o Grêmio agora faria o mesmo. Não tem como dar certo.

Bem, sempre tem o Renato Portaluppi de plantão para salvar de novo. Seria pela terceira vez.

CAPITÃO AMÉRICA

Entre os nomes que restam, penso que o Adilson Batista seria uma alternativa interessante.

Com ele, Valdir Espinosa como coordenador de futebol.

Adilson e Espinosa: dois vencedores identificados com o Grêmio.