Categorias
Blog do Ilgo

Grêmio terá torcida do Inter?

Sem Giuliano e Barcos, o Grêmio tem um grande desafio pela frente: vencer o Cruzeiro em pleno Mineirão.

Um Cruzeiro embalado, que pode distanciar-se ainda mais do vice, o Inter, que perdeu por 1 a 0 do São Paulo no Beira-Rio.

O time mineiro é, sem dúvida, o melhor em atividade no país. Está entrosado, tem alguns jogadores diferenciados e penso que nenhum de nível baixo, e ainda por cima tem um grupo qualificado.

Já o Grêmio não conta com nenhum jogador realmente de qualidade superior do meio para a frente.

Luan é o que mais se aproxima disso. Quem sabe Lucas Coelho, que fará seu segundo jogo seguido como titular.

Lucas só recebe essa nova oportunidade porque o argentino está lesionado. Lembra o que houve com Luan, que só entrou no time graças a uma lesão providencial de Kleber, provando que de vez em quando, muito de vez em quando, os deuses do futebol olham com carinho para o Grêmio.

Mas normalmente é assim que os jovens promissores ganham chance de jogar.

Felipão está alterando essa tradição ao lançar Walace, por exemplo. Mesmo com excesso de volantes, inclusive um com perfil de medalhão, Felipão foi buscar o jovem Walace no fundo do vestiário e não teve medo de lançá-lo no Gre-Nal.

Gostaria de ver Tinga ao menos uma vez no time de cima. Mas acho que com Pará por perto isso não irá acontecer tão cedo.

Por falar em Pará, ele está confirmado para voltar ao time. Matías, o lateral goleador, volta ao banco. Como o jogo é no Mineirão, acho que Felipão acerta ao optar pelo Pará, embora eu preferisse Ramiro na posição.

Na esquerda, segue o veterano Zé Roberto. Não sei, acho arriscado. O Cruzeiro vai jogar muito por ali.

No meio de campo, três volantes. Todos eles com capacidade para chegar à frente, em especial Riveros e Felipe Bastos, este uma revelação em termos de técnica e aplicação.

O esquema é um 4-3-3 que se transforma num 4-5-1. Ou será o contrário?

O importante é que o Grêmio jogue sem medo, respeitando o líder, mas sem medo.

É importante uma marcação forte, um certo resguardo defensivo, mas sem abrir mão, nunca, de atacar.

É um Grêmio assim que a torcida espera ver nesta quinta-feira no Mineirão.

Uma vitória mostrará que o Grêmio ainda pode brigar pelo título.

Afinal, é um jogo de seis pontos, talvez mais se considerarmos o interesse do Inter.

ERRO HUMANO

Sempre que um  juiz erra contra o Grêmio, não falta quem diga que foi um erro humano.

Nesta quarta-feira, no Beira-Rio, houve um clamoroso ‘erro humano’.

Num chute de Alexandre Pato, perto do final do jogo, Juan interceptou a bola com o braço esquerdo. A bola tinha endereço certo, o canto esquerdo de Dida, que caía para o direito.

O juiz deixou passar. Eu vi na hora que houve infração. Juan evitou o segundo gol do SP ao estender o braço mais ou menos na marca do pênalti.

Depois, já nos acréscimos, um lance duvidoso foi considerado pênalti pela maioria dos repórteres, mas na verdade foi um lance de disputa de bola que o juiz seria crucificado marcando ou não a infração ocorrida na risca da grande área.

Para quem deixou de marcar aquele pênalti escandaloso de Juan – que a imprensa presente custou a detectar e ainda assim com ressalvas -, nada de anormal.

A derrota interrompeu uma série formidável de cinco jogos com vitória do Inter.

Nesta quinta, o Grêmio vai defender também os interesses do Inter.

Afinal, se vencer, o Cruzeiro livrará cinco pontos de vantagem sobre o time de Abel Braga.

Duvido, porém, que os colorados torçam pelo Grêmio.