Categorias
Blog do Ilgo

Mobilização na mídia para elevar auto-estima colorada

Mais uma vez a crônica esportiva gaúcha se mostra compadecida com o lado vermelho da força no Estado.

Desde que o Grêmio começou a acumular vitórias e conquistas, ao lado de alguns shows que encantam até torcedores de outros clubes, é perceptível o esforço dos analistas em tentar consolar os colorados. É um movimento forte para levantar a auto-estima desses torcedores.

Cronistas de ‘alta credibilidade’ na aldeia, de notória ‘isenção crítica’, argumentaram em seus canais que há aspectos positivos nessa hecatombe que atingiu o Inter nos últimos dias.

Sim perder dois grenais seguidos depois de transmitir ao torcedor a falsa ideia de um time altamente qualificado e hiper bem treinado é um desastre, um balde de água gelada, é triturar a esperança do colorado. Se bem que muitos colorados acumularam gordura em soberba e arrogância, e ainda preservam o comportamento de vencedor, mesmo perto do fundo do poço.

Bem, um defende que assim, eliminado do Gauchão, o Inter terá mais tempo para meditação e treinamento, e poderá preparar-se melhor para a Copa do Brasil, Brasileirão, etc. Outro, na mesma linha, fala em transformar limão em limonada. E por aí vai.

DESABAFO DO CAPITÃO

Esse universo paralelo está desmoronando. Nesta terça, se não me engano só na rádio Grenal, o líder máximo da seita colorada falou abertamente sobre o que acontece nos bastidores. Sobrou pra conselheiros que vivem dando ‘aula’ de futebol em programas de rádio e TV, e também para a administração do clube. D’alessandro revelou que o time trabalhou sem água e sem luz no CT.

Curioso que a imprensa, sempre tão atenta a tudo que acontece no Grêmio, não tenha noticiado isso. Terá sido em respeito aos dirigentes?

Qualquer outro jogador do Inter que falasse assim sofreria alguma sanção. Mas D’Alessandro é D’Alessandro. O argentino tem levado tanta bordoada do Grêmio, aquele clube que ele cansou de zoar, que não aguenta mais. Decidiu jogar tudo para o alto. Vamos ver o que fará a direção colorada.

Aqui, de trás do teclado, imagino que esse discurso do capitão colorado não é motivado apenas pelos maus resultados. Desconfio que ele tem muita grana a receber do clube e não está vendo sinal de pagamento em dia e, principalmente, de pagamento dos atrasados.

QUESTÃO DE CARÁTER

Caráter não se compra, nem tem pra vender. Não adianta ganhar milhões de euros, que não vai comprar caráter.

Penso nisso provocado pelo gesto do Arthur. Ele não foi criado no clube, mas demonstra carinho, afeto e respeito que raramente se vê em um jogador profissional de futebol.

Arthur beijou o distintivo do Grêmio com muita verdade no gesto.

Na hora não pude deixar de lembrar de outro profissional, um que foi criado, literalmente, no Grêmio, no velho Olímpico. Um que tinha muito mais razões para respeitar e amar o clube, e que não vacilou em jogar tudo na lixeira dos ingratos e indignos.

Uma simples questão de caráter, qualidade que Arthur tem de sobra. Por isso, meu respeito ao atleta e ao cidadão Arthur.

Ah, o outro agora segue o caminho da política. Estará entre os seus.

GRE-NAL

Se der de novo a lógica, o Grêmio vai enfileirar a terceira vitória seguida no clássico.

Vai pedir música no Fantástico? Sugiro ‘Meu mundo caiu’, da Maysa, uma cantora de fossa, bem adequada, portanto, ao momento colorado.

Agora, com Vuaden no apito temo pela integridade física de jogadores gremistas. E receio que os tais erros humanos serão contra o Grêmio, que já foi prejudicado no jogo da Arena, mas conseguiu passar por cima.