Notícias

Por que o Grêmio está na zona do rebaixamento?

O Grêmio está nessa situação (na zona do rebaixamento) após perder para o Bahia por 1×0 na última rodada do Brasileirão, ocupando a preocupante 18a posição.

Para o time que veio de um Campeonato Gaúcho irretocável, sofrendo apenas um gol, vencendo o Internacional na final, parece difícil entender porque o time ainda não deslanchou no Campeonato Brasileiro e ocupa posição tão desfavorável na tabela. Assim, elencamos algumas razões para a atual situação gremista:

1) Problemas na lateral direita: Ramiro foi liberado ao Corinthians e desde então, não houve alguém capaz de substituí-lo com excelência. Vários jogadores foram testados na posição, dentre eles Montoya, Marinho, Tachiano, Matheus Henrique, até Diego Tardelli já mencionou querer atuar nessa posição, mas as características do antigo titular da lateral não foram substituídas, justamente porque com Ramiro o Grêmio tinha capacidade de recomposição rápida, o que ainda não aconteceu com nenhum substituto.

2) Desfalques: a zaga está sendo a principal área de desfalques, mas não só ela. No meio-campo, o time não anda contando com Maicon, perdendo na criatividade do time. Agora, a lateral-direita conta com problemas também, pois o titular ainda se recupera de lesão e o substituto tomou o terceiro cartão amarelo contra o Bahia. Outro quebra-cabeça pra Renato Portaluppi resolver.

Além dos desfalques no Departamento Médico, temos que citar Luan, que ainda não retornou ao time devido à lesão muscular e Éverton, seu substituto imediato que agora está com a seleção para a disputa da Copa América. Os dois foram/são os grandes nomes do time Gaúcho nas últimas temporadas e o time sofre com a ausência dos dois. O que se observa é que falta elementos que atuem bem no quesito de flutuação no ataque e sustentasse a filosofia do time de mobilidade total.

3) Mata-matas sendo mais importantes que pontos corridos: pelos recentes títulos conquistados pelo Grêmio, baseados em torneios mata-mata, o time passou a priorizar essas competições, deixando o Campeonato Brasileiro em segundo plano. A filosofia empregada é que mata-matas não permitem oscilações e erros, mas no Campeonato Brasileiro há tempo e espaço para o time se recuperar. No momento, o time foca na Libertadores.

4) Reforços não decolaram ainda: embora o Grêmio tenha mantido a base, houve contratações. Infelizmente nenhuma delas ainda teve o impacto positivo no time que se esperava. Os reforços foram Montoya, Rômulo, Diego Tardelli, Rafael Galhardo e Felipe Vizeu, sendo que Vizeu foi o que melhor apresentou desempenho, mas ainda abaixo da expectativa criada sobre o atacante.

Resta saber se essas causas serão revertidas e o Grêmio sairá da incômoda posição na tabela, ou como o time gaúcho reagirá a tudo isso no decorrer do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Esporte UOL

Fechar