O que esperar dos duelos dos times brasileiros rumo à final da Libertadores

Não se sabe quais os times que irão fazer a final da Libertadores de 2019, mas já se sabe que um dos finalistas será brasileiro. A outra vaga será disputada por Liga de Quito, Boca, Cerro e River. Enquanto do lado brasileiro, Grêmio, Palmeiras, Internacional e Flamengo disputam a sonhava vaga na final.

O Grêmio enfrenta o Palmeiras e o Flamengo enfrenta o Inter. O técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari também tem uma longa história com o time gremista, pois foi campeão continental com o Grêmio em 1995 e com o Palmeiras em 1999. Renato Gaúcho também ganhou duas libertadores, ambas pelo Grêmio, sendo uma como jogador em 1983 e a outra como técnico em 2017.

Scolari não fala, mas o Palmeiras precisa retomar a maneira de jogar antes da parada da Copa América, com uma defesa praticamente intransponível, meio-campo marcando bem e ataque eficiente, quando se deu a liderança do Brasileirão e melhor campanha da fase de grupos da Libertadores. Em seus melhores momentos, o Palmeiras saía com os laterais rapidamente, contava com os lançamentos e presença de Felipe Melo e os chutes de fora da área de Bruno Henrique. O ataque, com Dudu, funcionava bem. Não havia o menor sinal que o time estava limitado a lançamentos diretos ou estagnado. Mas depois da parada da Copa América, reapareceu o uso dessa jogada e a defesa passou a ser mais vazada. O que aconteceu com o time? Perdeu a liderança do Brasileirão para o Santos, que abriu vantagem. Talvez haja necessidade de recuperação técnica de 3 ou 4 jogadores para que o time volte a jogar no nível que estava antes.

O Grêmio segue em três competições, está sem perder há 9 jogos. Renato continua poupando os titulares para os jogos mais decisivos e no Brasileirão o time vem em uma crescente recuperação e não está mais na parte de baixo da tabela. Tardelli vem se adaptando, André, que já foi bastante vaiado, conquistou a vaga de titular. Kannemann voltou a jogar bem e Maicon retomou o controle do meio campo. O garoto Jean Pyerre tem correspondido bem às expectativas e Éverton Cebolinha, grande destaque da Copa América, parece que vai permanecer no Grêmio até o final da temporada, pois não houve proposta oficial pelo atleta.

O Inter também avançou às semifinais da Copa do Brasil e não vai mal no Brasileirão. O sistema defensivo está bem organizado, com Cuesta e Moledo. D’Alessandro tem conseguido jogar bem com mais frequência, mas o que mudou a perspectiva foi a chegada de Guerrero, que continua bem acima da média dos atuais centroavantes dos times brasileiros. Lá na frente, mesmo isolado, Guerrero é capaz de decidir.

O Flamengo é um time em transformação, pois as ideias de Jorge Jesus são bem diferentes do antigo técnico, Abel Braga. Rafinha acabou de chegar e na lateral esquerda, Filipe Luís é o nome do reforço. A defesa melhorou com Mari e o técnico espera plena condição de Arrascaeta e de Everton Ribeiro.

Existe a possibilidade de Grêmio e Inter se enfrentarem na semifinal da Libertadores e na final da Copa do Brasil. No caso de Palmeiras e Flamengo, o investimento financeiro maciço de ambos os times faz que o torneio continental seja uma meta.

Na outra chave, o Boca é favorito contra o Liga. Mas o maior favorito é o atual campeão River, contra o Cerro. Os dois principais times da Argentina podem se encontrar na semifinal da Libertadores. Quem vencer, encarará o Mundial de Clubes e, quem sabe, o Liverpool.

Fonte: UOL Esportes – Zaidan.