Categorias
Blog do Ilgo

O Brasileirão dos reservas e a desmoralização dos pontos corridos

O Grêmio vai com time reserva para o enfrentamento com o Flamengo neste sábado, no Rio. Até pouco tempo atrás, estaríamos abrindo o berreiro contra a decisão do clube. ‘Ora, jogar com reservas esse clássico nacional… ‘

Hoje, a gente se conforma e vê, por conta disso, o título do campeonato mais chato do mundo cada vez mais distante. Uma chatice que aumenta à medida em que o time da gente cai na tabela.

Percebo que a cada ano o Brasileirão perde um pouco do brilho de outros tempos. Tempos em que os clubes pensavam mil vezes antes de escalar time reserva ou misto, e que só poupavam quem realmente estivesse na iminência de uma lesão muscular, como essa do Edenílson.

Nesses tempos, coisa de poucos anos atrás, os defensores dessa chatice, defendiam a competição com um argumento básico: campeonato por pontos corridos é mais justo, vence aquele que faz melhor campanha, não é o retrato de um momento, como os torneios mata-mata.

Hoje, com os clubes intercalando equipes reservas, mistas ou titulares de acordo com seus interesses – situação causada pela CBF – o Brasileirão já não premia o melhor time. Os grandes clubes são submetidos à essa situação ridícula. Com isso, equipes com uma só competição pra disputar, caso do Santos, passam a ser fortes candidatas ao título. Onde está a justiça tão apregoada anos atrás?

Sem contar o absurdo, estabelecido em regulamento, que dá aos clubes a possibilidade de uma equipe VENDER seu mando de campo. Mais um fator de desequilíbrio.

Alguém consegue imaginar esse tipo de excrescência numa Copa do Brasil?

Sempre defendi, a exemplo de muita gente, o Brasileirão de pontos corridos no qual o campeão de um turno enfrentaria o do outro. Se o mesmo clube conquistasse os dois turnos, seria dele o troféu. A possibilidade uma grande final, em um ou dois jogos, traria mais emoção, mais vida a um campeonato que a continuar desse jeito irá definhar até ser sepultado.

TEIMOSIA

O técnico Renato Portaluppi parece que gosta de jogar com dez. Ou quando escala André ou, como neste sábado, com Galhardo no meio de campo. Nos dois jogos em que jogou nessa função, Galhardo fracassou. Tudo indica que Renato vai repetir essa experiência desastrosa.

Renato desafia os deuses do futebol e assusta a torcida tricolor.

Se Galhardo não serve pra lateral-direita, menos ainda para jogar na meia.

Que a estrela de Renato brilhe nesse confronto em que estará frente a frente com Jesus.

JESUS NO TEXAS

Até Jesus tem um pé no Texas, como diria o cornetadoRW. Diante da informação de que o Flamengo está tentando contratar Balotelli ( o Flamengo não jeito mesmo), o técnico Jesus revelou seu lado texano: “É fundamental termos um centroavante”. Só falta agora ele pedir um volante suja-calção.