Notícias

Retrospectiva 2019: A campanha do Grêmio na Libertadores

Durante toda a última semana de 2019, estamos fazendo a nossa retrospectiva da temporada do Grêmio. Após acompanharmos as campanhas da base, do futebol feminino e do elenco profissional na Copa do Brasil e no Campeonato Gaúcho, chegou a hora de falarmos sobre a trajetória do tricolor na maior competição do continente, a Copa Conmebol Libertadores.

A sexagésima edição do torneio traria uma mudança fundamental na disputa: a final, antes disputada em dois confrontos, seria disputada em jogo único, com palco previamente decidido pela entidade responsável pela competição. A busca pela glória eterna teria como a última parada a cidade de Santiago, no Chile. 

O Grêmio chegava na edição de 2019 do torneio com um excelente retrospecto nos últimos dois anos. Em 2017 foi campeão com uma campanha impecável, reconquistando o continente após 22 anos. Em 2018, em um confronto disputado contra o River Plate, foi eliminado na fase de semifinais. A equipe argentina, do treinador Marcelo Gallardo, acabou se sagrando a campeã na polêmica final contra o seu maior rival, o Boca Juniors.

Depois de duas temporadas de destaque, como foi a participação do Grêmio na Libertadores de 2019? É isso que você confere agora, na quarta parte da nossa retrospectiva.

Retrospectiva 2019: Em fase de grupos difícil, Grêmio consegue classificação com muito esforço

retrospectiva-2019-em-fase-de-grupos-difícil
RS – FUTEBOL/CONMEBOL LIBERTADORES 2019 /GREMIO X UNIVERSIDAD CATOLICA – ESPORTES – Lance da partida entre Gremio e Universidad Catolica disputada na noite desta quarta-feira, na Arena do Gremio, valida pela Conmebol Libertadores 2019. FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Eliminado nas quartas-de-final da Copa do Brasil e nas semifinais da Libertadores em 2018, a única forma do tricolor se classificar de forma direta para a fase de grupos do torneio era pelo Campeonato Brasileiro. Assim como em 2017, novamente o time de Renato Portaluppi fez uma campanha regular, sendo o suficiente para alcançar a quarta colocação e, assim, pular algumas etapas do torneio.

Classificado de forma direta para a fase de grupos e com a terceira melhor campanha do torneio em 2018, o Grêmio foi um dos cabeças de chave. Sorteado no Grupo H, a equipe tinha pela frente times tradicionais do torneio como adversários: Libertad, do Paraguai, Rosario Central, da Argentina e Universidad Catolica, do Chile. Mesmo escapando de clubes campeões, o chaveamento não foi dos mais fáceis, e isso se mostrou durante toda a fase inicial.

O Grêmio estreou na Libertadores desse ano fora de casa. Contra o Rosário Central, a equipe conseguiu apenas um empate por 1 a 1. Na segunda rodada, o time contou com a torcida que lotou a Arena para o primeiro jogo da equipe na competição em casa. Mas isso não foi suficiente, e o Grêmio saiu derrotado para o Libertad por 1 a 0, deixando a situação um pouco mais complicada na fase de grupos. Se o momento não era bom, ficou ainda pior quando a equipe perdeu no Chile para a Universidad Catolica, novamente por 1 a 0. O tricolor fechava o primeiro turno com apenas 1 ponto em 9 possíveis.

Para se classificar ao mata-mata da competição, o Imortal precisaria de uma campanha quase perfeita. No primeiro jogo do returno, a equipe derrotou o Rosario Central por 3 a 1 na Arena, e iniciou a arrancada para a classificação. No Paraguai, o tricolor bateu o Libertad por 2 a 0 e chegou aos 7 pontos ganhos, 6 no returno, chegando à última rodada com a esperança de passar de fase acesa. Na Arena, o Grêmio se despediu da fase de grupos com uma nova vitória por 2 a 0, dessa vez contra a Universidad Católica, se classificando na segunda colocação do Grupo H com 10 pontos.

Retrospectiva 2019: Futebol do Grêmio evolui, mas equipe novamente cai nas semis

retrospectiva-2019-futebol-do-grêmio-evolui
RS – FUTEBOL/CONMEBOL LIBERTADORES 2019 /GREMIO X LIBERTAD – ESPORTES – Lance da partida entre Gremio e Libertad disputada na noite desta quinta-feira, na Arena do Gremio, valida pelas oitavas de final da Conmebol Libertadores 2019. FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

O sorteio para a fase de mata-mata colocou novamente o Libertad, que foi líder do seu grupo, frente-a-frente com o tricolor. Na primeira fase, cada um dos clubes saiu com uma vitória. Nas Oitavas de Final, entretanto, o tricolor dominou os paraguaios, mostrando a evolução dos comandados de Portaluppi durante a temporada. No primeiro jogo, na Arena, o Imortal bateu o Libertad por 2 a 0. Na volta, que poderia ser mais difícil, o Grêmio não tomou conhecimento dos adversários se classificou vencendo por 3 a 0.

O sorteio para as Quartas de Final colocou pela frente Grêmio e Palmeiras, que fizeram confrontos épicos no torneio nos anos 90. O clube paulista era o atual campeão brasileiro e vinha fazendo campanha irretocável na competição novamente. No entanto, a falta de criatividade do treinador do alviverde, Luis Felipe Scolari, começava a se mostrar evidente no meio da temporada, vendo clubes como Santos e Flamengo se aproximarem da equipe no Brasileirão e tornando o confronto contra o Grêmio mais imprevisível ainda.

Com uma campanha pior que a do Palmeiras, o tricolor teria que decidir sua vida no torneio fora de casa. Logo, era necessário fazer um bom resultado em Porto Alegre, mas não foi isso o que aconteceu. Na primeira partida, o alviverde saiu com uma vitória por 1 a 0 em gol de falta de Gustavo Scarpa, levando a vantagem para São Paulo. Mas quem foi ao Pacaembu no dia 27 de agosto viu o poder do Imortal nos momentos mais difíceis. Luiz Adriano abriu o placar para os paulistas, mas Everton e Alisson viraram o placar para o Grêmio, num 2 a 1 que classificou a equipe pelo critério de gols fora de casa.

Pela terceira vez consecutiva, a equipe do Grêmio chegou à uma semifinal de Copa Libertadores. O adversário dessa vez foi o Flamengo, que derrotou o Internacional e adiou o tão sonhado confronto entre gaúchos numa competição internacional. O primeiro jogo entre gremistas e rubro-negros foi acirrado, e com gols anulados e polêmicas, os times saíram da Arena empatados em 1 a 1. Na segunda partida, entretanto, o tricolor foi desfalcado para o Maracanã, e enfrentando o clube carioca inspirado, foi derrotado por 5 a 0 e eliminado da competição.

Retrospectiva 2019: Em 2020, mais uma chance de reconquistar a América

A década de 2010 colocou o Grêmio de volta ao caminho das glórias, principalmente após a chegada de Renato Portaluppi ao cargo de treinador da equipe. O clube encerra a década como um dos times mais temidos do país, sendo colocado como favorito nas mesas redondas e entre os próprios jogadores. Mesmo com a eliminação melancólica na Libertadores de 2019, o tricolor retorna à competição continental em 2020 com credenciais que o coloca entre os melhores.

Novamente classificado em quarto lugar no Campeonato Brasileiro, a equipe teve a oportunidade de ser cabeça-de-chave do torneio mais uma vez. No Grupo E, a equipe já tem o América de Cali, da Colômbia, e a Universidad Católica, do Chile, como seus adversários confirmados. A última vaga na primeira fase do torneio será decidida entre outras quatro equipes: Maracá, do Equador; Deportes Tolima, da Colômbia; o quarto colocado do Campeonato Chileno; e o Internacional.

retrospectiva-2019-em-2020-mais-uma-chance-de-conquistar-a-américa
RS – FUTEBOL/CAMPEONATO BRASILEIRO 2019 /GRENAL 422 – ESPORTES – Lance da partida entre Gremio e Internacional disputada na noite deste domingo, na Arena do Gremio, em partida valida pela Campeonato Brasileiro 2019. FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

As chances do Gre-Nal numa competição internacional são grandes. Assim como seria no mata-mata de 2019, os clubes terão duas oportunidades de se enfrentarem no maior torneio do continente. Mas, para isso acontecer, depende exclusivamente de como o co-irmão colorado se comportará durante as fases anteriores do torneio. O Grêmio, já classificado, espera com tranquilidade o seu quarto oponente no grupo, tendo em mente que, não importa qual seja, ele será favorito.

Em 2020, o tricolor terá uma nova chance de conquistar a América. Que o Ano Novo seja como foram 1983, 1995 e 2017, onde o continente foi pintado de azul, branco e preto.

Confira as outras partes da nossa retrospectiva:

Fechar