Notícias

Negociação entre Ferreira e Grêmio já se arrasta desde o início da temporada

Ferreira é tratado como uma das jóias do tricolor. Revelado nas categorias de base do clube, o jogador fui um dos destaques do grupo de aspirantes que foi vice-campeão do Campeonato Brasileiro Sub-23, no ano passado. A boa participação no time de transição fez com que o jogador fosse utilizado pela comissão técnica do Grêmio em algumas ocasiões no elenco principal.

Em 2020, ele foi promovido ao grupo que disputa o Campeonato Gaúcho e a Libertadores. No entanto, desde o início da temporada, a diretoria gremista busca uma negociação de extensão do seu contrato, que vai até julho de 2021. Os valores, no entanto, não agradaram o estafe do atleta, que fez uma contraproposta, também recusado pelos dirigentes do clube.

Isso fez com que a diretoria e a comissão técnica colocassem Ferreira para treinar afastado da equipe. A decisão aconteceu no dia 28 de fevereiro, um dia antes do início do segundo turno. Porém, as negociações não avançaram e o jogador segue fora dos planos, não sendo inscrito para a disputa da Libertadores. Um dia após o afastamento, o presidente do clube, Romildo Bolzan Junior, se manifestou sobre o caso.

– Não é dificuldade, são negociações. Dificuldade nas negociações seria o termo mais correto, nós não chegamos a um ponto final. É bom que se diga que a gente antecipou a renovação de contrato porque temos que valorizar o jogador. Queremos que ele fique conosco, queremos segurança para nós e para ele. Não foi possível chegar ainda nesse ajuste. Não havendo isso, o Grêmio resolveu deixá-lo preservado. Isso também resguarda a nós, principalmente – afirmou.

Caso a Justiça do Trabalho conceda uma liminar para Ferreira, o jogador poderá assinar com outra equipe. Há algumas semanas, o Grêmio recebeu uma proposta de R$ 5 milhões por 50% dos direitos econômicos do atleta, vinda do Athletico Paranaense. A diretoria tricolor, no entanto, recusou.

Confira também:

Fechar