Notícias

Júlio César cobra R$ 768 mil do seu ex-clube, entenda

Goleiro atuou no Fluminense entre 2014 e 2018

O goleiro Júlio César, no Grêmio desde 2019, acionou o seu ex-clube, o Fluminense, na Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro. O jogador cobra um valor de R$ 768.260,95, em verbas rescisórias, multas e não recolhimento de FGTS, de acordo com o site globoesporte.com.

A ação foi movida pelo goleiro no início de fevereiro, e a audiência para resolver o caso está marcada para o próximo dia 2 de junho, na capital carioca. O seu advogado, Rafael Carvalho Cunha, cuida do caso. Entre os pedidos do goleiro, estão mais de R$ 259 mil, pelo não depósito de 37 parcelas do FGTS.

Júlio César foi goleiro do Fluminense durante quatro temporadas

júlio-césar-atuou-quatro-anos-no-fluminense
Júlio César foi responsável por salvar o Fluminense do rebaixamento em 2018 – Foto: Andre Durão

Júlio César chegou no Fluminense em 2014, para ser reserva do então goleiro titular do clube, Diego Cavalieri. O jogador fez sombra ao arqueiro durante seus primeiros anos de clube, chegando à titularidade apenas em 2017, quando o seu parceiro de posição passava por altos e baixos na temporada.

Com a polêmica dispensa de Cavalieri no início de 2018, Júlio César assumiu a condição de titular do Fluminense. Mesmo com a desconfiança da torcida tricolor, o jogador foi importante para a equipe na temporada, com boas atuações e pegando um pênalti decisivo na última rodada do Campeonato Brasileiro, que salvou o tricolor carioca de um rebaixamento.

As boas atuações atraíram os olhares da comissão técnica gremista, que decidiu contratá-lo para ser o reserva de Paulo Victor, após a saída de Marcelo Grohe, no início da temporada passada. Suas atuações, no entanto, foram abaixo do esperado, e o goleiro hoje é a quarta opção do elenco gremista, tendo ainda Phelipe, joia do tricolor, à sua frente.

O jogador, inclusive, teve seu nome sondado por times da Serie A do Campeonato Brasileiro. No início do ano, foi cogitado uma negociação com o Ceará, mas nada foi concretizado.

Confira também:

Fechar