Campeonato Gaúcho

Federação Gaúcha decidirá o futuro do Estadual nesta segunda

Competição poderá ser suspensa por tempo indeterminado

Neste domingo (15), a terceira rodada do segundo turno do Campeonato Gaúcho foi feita sob muitos protestos. Devido ao temor pela proliferação do coronavírus no Brasil, a Federação Gaúcha decidiu manter os portões dos estádios fechados, mas não cancelou os confrontos.

Em alguns jogos, o que se viu foram protestos dos jogadores. Na partida entre Grêmio e São Luiz, os atletas do tricolor entraram em campo com máscaras no rosto. Após a vitória gremista, o meio-campo Thiago Neves e o treinador Renato Portaluppi fizeram duras críticas à decisão da Federação.

Mas, de acordo com o diretor médico da entidade, Ivan Pacheco, não há necessidade de cancelamento das partidas. De acordo com ele, não haveria motivo técnico para suspender as partidas no domingo. No entanto, terá uma reunião com os dirigentes dos 12 clubes que disputam o Gauchão, onde decidirão se irão ou não interromper a competição.

– Hoje (domingo) não teria motivo técnico para suspender o Campeonato Gaúcho, a não ser tirar a torcida do estádio. Mas amanhã (segunda) pode ser tudo diferente. Pode mudar de um dia para o outro. Se parar, tecnicamente os clubes têm que parar também. Os jogadores não podem treinar, ir a shopping, igreja, lugares onde há grandes aglomerações. Se não houver mudanças nos boletins epidemiológicos, meu posicionamento será esse. Mas vai ser uma decisão em comum acordo – explicou Ivan.

CBF suspendeu partidas em competições nacionais; decisão pode influenciar Federação Gaúcha

Também no domingo, a Confederação Brasileira de Futebol decidiu suspender todas as partidas das suas competições nacionais de todas as categorias a partir desta segunda-feira. Dessa forma, os jogos da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro Feminino Serie A1 serão adiados, assim como os torneios da base.

Essa decisão pode afetar diretamente na reunião entre os dirigentes e a Federação Gaúcha. De acordo com o vice-presidente da entidade, Alexandre Chaves Barcellos, a ordem da CBF foi prudente, e os dirigentes gaúchos devem seguir a mesma medida, já que a manutenção das competições coloca em risco a saúde de atletas e membros dos clubes.

– Não tem como fugir dessa medida tomada pela CBF (de suspender todas as competições nacionais). Já há movimentação dos próprios atletas, que estão em situação de risco. O vestiário tem pouco mais de 40 metros quadrados e botamos 50 pessoas violando todas as regras de segurança adotadas por todo mundo. A decisão da CBF é prudente. Não tem como escaparmos da suspensão do Gauchão – afirmou Barcellos.

Por enquanto, o Campeonato Gaúcho está mantido. Na manhã desta segunda-feira, caso seja suspenso, será mais uma das competições que foram interrompidas pelo mundo. Caso os dirigentes optem por não adiar os confrontos, a próxima partida do tricolor será o Gre-Nal, no próximo sábado.

Confira também:

Fechar