Notícias

Caso Ferreira: Justiça nega liminar que pedia rescisão do contrato do jogador

Atacante está treinando afastado do elenco desde o fim de fevereiro

Nessa segunda-feira (16), a Justiça do Trabalho do Rio Grande do Sul negou o pedido do atacante Ferreira e de seus advogados para rescisão de contrato com o Grêmio. O jogador havia entrado com uma liminar no órgão, alegando que teria sido coagido para assinar uma extensão de seu contrato, que está em vigor até junho de 2021.

A negociação de Ferreira com o tricolor já se estende desde o início da temporada. Tratado como um dos futuros jogadores vindos da base gremista, o jogador foi procurado pela diretoria gremista para estender seu vínculo com o clube. No entanto, as negociações travaram pois a pedida do atleta foi considerada muito alta, enquanto a oferta dos dirigentes foi considerada inferior ao esperado.

Com isso, o comando de futebol do Grêmio decidiu afastar Ferreira dos treinamentos com o elenco no último dia 25. O jogador estava integrado ao time principal desde o início da temporada, após um ano de destaque na equipe de aspirantes, onde foi vice-campeão brasileiro da categoria Sub-23. No primeiro jogo da temporada, onde apenas os garotos atuaram, ele marcou o único gol do tricolor na derrota para o Pelotas, na final da Recopa Gaúcha.

Após ser afastado, os representantes do atleta acionaram a Justiça do Trabalho do Estado, afirmando que o Grêmio estava coagindo Ferreira para que ele assinasse um novo contrato, com a condição de ser inscrito na Copa Libertadores, o que não aconteceu. O atleta pediu a rescisão do seu vínculo com o tricolor, além de uma indenização de R$ 70 mil. De acordo com o globoesporte.com, o juiz do trabalho que tratou do caso considerou que não há provas para determinar a rescisão.

Ferreira é agenciado por Pablo Bueno, que se envolveu em um polêmica com o tricolor no início de 2019, quando um dos seus atletas, Tetê, acabou sendo negociado com o Shaktar Donetsk, da Ucrânia, sem nem ao menos vestir a camisa do Grêmio pelos profissionais. O jogador continuará treinando no CT Luiz Carvalho, e a situação será analisada pelo Departamento de Futebol do clube.

Confira também:

Fechar