Notícias

Maicon fala à RBS TV sobre seus cinco anos no Grêmio

Maicon completou cinco anos vestindo a camisa do Grêmio. Com mais de 300 jogos com a camisa no tricolor, o volante e capitão da equipe acumulou conquistas e o carinho do torcedor do Imortal. Com habilidade para sair jogando e atuações decisivas, o jogador se tornou dono do meio-campo gremista, um camisa 10 que podia atuar também como 8.

Nessa última semana, Maicon foi entrevistado pela RBS TV, emissora afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul. Líder nos vestiários e dentro de campo, o jogador afirmou que o maior título que conquistou com a camisa gremista foi a Copa do Brasil de 2016, que encerrou uma sequência de 15 anos sem uma conquista à nível nacional.

– Quando estava no São Paulo, eu acompanhava. Sempre que jogava contra o Grêmio era muito difícil. Um clube da grandeza do Grêmio não pode ficar tantos anos sem conquistar títulos. Ainda mais que já tinha ganho várias Copas do Brasil, Libertadores. A partir do momento que chega aqui, tem que incorporar isso e entender que a pressão vai ser grande, independente se está ganhando título ou não – afirmou.

Críticas, liderança, títulos e aposentadoria: os passos de Maicon no tricolor

Os momentos de Maicon com a camisa do Grêmio possuem muitas conquistas, mas também teve momentos de tensão no tricolor. Em 2017, suas atuações eram abaixo do esperado, e o meia via sua titularidade saindo pelos seus dedos com a ascensão do jovem Arthur. Na ocasião, ele admitiu que o agora meio-campo do Barcelona merecia estar entre os onze, o que mostrou liderança. O jogador falou sobre aquele ano e sobre as decisões tomadas.

– Dois mil e dezessete foi um ano complicado para mim. Não adiantava eu querer jogar em condições que eu não iria acrescentar para o time. Tem que ter discernimento, inteligência e por ser o líder da equipe junto com outros jogadores, entender que tinha companheiros melhores que eu para ajudar. Naquela situação, o Arthur já estava jogando. Aí eu decidi que era melhor sair, fazer a cirurgia. Claro que eu queria participar de toda Libertadores, mas acontece – admitiu Maicon.

Em relação a sua liderança dentro da equipe, Maicon foi perguntado sobre a relação com os jovens meio-campistas do tricolor. Durante seu período como jogador gremista, o clube revelou grandes nomes para a posição, como Walace, Arthur e agora Matheus Henrique. O volante afirmou que tenta cumprir uma função de mentor dos guris, alertando do que pode acontecer em suas carreiras e caminhos a serem tomados.

Talento eles já têm. O que eu tento passar às vezes é posicionamento dentro no campo. Induzi-los a ter coragem de jogar, fazer o que sabem. São jogadores com potencial muito alto e podem chegar na Seleção, podem jogar na Europa, podem dar muitas alegrias para o torcedor do Grêmio. Independente se é na minha posição ou não, eu procuro sempre estar ajudando, passar um pouco da minha experiência, o que eu já vivi nesses anos que estou jogando. Procuro alertá-los para o que pode acontecer lá na frente, para que estejam fortes e que não interfira no trabalho – explicou.

Em 2020, Maicon teve duvidas se começaria a temporada devido às dores sentidas em um dos seus joelhos. No entanto, houve uma boa recuperação durante as férias, e o jogador vem atuando normalmente como titular do tricolor. Com a interrupção do futebol nacional, ele terá mais tempo para colocar a forma física em condições melhores para ter um bom restante de temporada.

Confira também:

Fechar