Notícias

Jogadores e torcida fazem ações em combate ao Covid-19

Fim de semana foi de doações e iniciativas pelo País

Os eventos esportivos foram severamente afetados pela pandemia de Covid-19 no Brasil e no exterior. Com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de evitar aglomerações para não aumentar o contágio, as competições de futebol tornaram-se inviáveis e com isso, tiveram que ser paralisadas.

Seguindo as recomendações das autoridades de saúde também que o Grêmio concedeu férias coletivas aos jogadores do elenco, desde o dia 1º de abril. Alguns seguiram em Porto Alegre, mantendo isolamento social na capital gaúcha. Outros, no entanto, partiram para as suas cidades natais ou onde residem nas férias.

Alguns atletas aproveitaram o período de recesso para promoverem ações em combate ao Covid-19. Eles se uniram à associações comunitárias, amigos e familiares, e estão promovendo doações para áreas com dificuldade financeira. O atacante Diego Souza é um desses casos. O jogador doou 150 cestas básicas e o mesmo número de kits de limpeza para a comunidade de Boogie Woogie, na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro.

— Praticamente nasci e cresci na comunidade. Minha mãe ainda mora na Ilha. Sempre que posso estou lá com minha família e meus amigos. Num momento difícil que vivemos como esse, não poderia dar as costas para tantas pessoas que precisam. Se posso, é claro que vou ajudar. E apareceu tanta gente que tivemos que aumentar o número de senhas. Terça-feira tem mais — declarou o atacante.

Outros jogadores que promoveram ações em suas comunidades foram o lateral Cortez, que doou 300 cestas básicas e kits de higiene para o bairro Bela Vista, em Campo Grande, na zona oeste do Rio, e o goleiro Paulo Victor enviou 250 cestas básicas para a prefeitura de Assis, sua terra natal, no interior de São Paulo. Em um vídeo divulgado em sua rede social, o jogador relembrou a importância de ficar em casa.

— Estamos passando por momentos difíceis, mas juntos vamos sair dessa. Estaremos doando 250 cestas básicas para ajudar as famílias mais necessitadas. Junto com a ajuda, queria fazer um apelo para que a gente possa conscientizar e evitar o contato fora dos nossos lares — afirmou Paulo Victor.

As ações contra a Covid-19 também uniram jogadores de Grêmio e Inter. Na manhã desse domingo, David Braz e Marcelo Lomba fizeram doações de ovos de páscoa para duas instituições que abrigam jovens em situação vulnerável. Quem também saiu para promover a entrega de mais de 170 quentinhas para moradores da cidade de Alvorada foi o meio-campo Jean Pyerre, que contou com a ajuda da brigada militar e de amigos e familiares.

Torcedores do Grêmio em Fortaleza também promovem ações contra o Covid-19

Em Fortaleza, o Consulado do Grêmio também promoveu uma ação em ajuda à população em situação vulnerável. Por conta da pandemia de coronavírus e a necessidade de ficar em casa, muitas famílias não possuem condições de dar alimentação balanceada aos seus filhos, que cumpriam suas refeições diárias nas escolas, muitas vezes.

As doações do Consulado foram para o projeto Valentes de Davi, que há mais de 16 anos atende crianças em situação de vulnerabilidade no Rio Grande do Sul e se estabeleceu em Fortaleza há pouco menos de um ano. De acordo com o globoesporte.com, o projeto presta assistência psicológica, reforço escolar, ensinamentos bíblicos e distribui cestas básicas mensalmente para crianças carentes das comunidades Piedade, Rosalina e Riacho Doce.

– Foi a primeira ação consular aqui em Fortaleza. Na realidade, essa campanha vai seguir. Fizemos apenas a primeira entrega. A ideia é seguir arrecadando em campanhas semanais. A nossa próxima campanha semanal é uma ação para arrecadar quentinhas. Nossa meta é conseguir 200 refeições, que vamos doar no Centro da cidade – afirmou Victor Tiago Gomes, cônsul do Grêmio em Fortaleza.

De acordo com Tiago, o Consulado possui cerca de 200 membros ativos. A expectativa é de que, nas próximas semanas, o grupo consiga arrecadar mais cestas básicas e quentinhas às famílias impactadas pela crise da Covid-19. A iniciativa deve impactar cerca de 60 crianças abraçadas pelo projeto.

Confira também:

Fechar