NotíciasCuriosidades

Pelé no Grêmio? Site relembra episódio que aconteceu em 1957 e quase mudou a carreira do Rei

Possibilidade surgiu após excursão do Santos no Rio Grande do Sul, um ano antes da conquista da primeira Copa do Mundo

O Grêmio tem em sua prateleira de ídolos, jogadores que marcaram o futebol brasileiro. Diferentemente da maioria dos outros clubes do País, a camisa 7 é quem carrega a mística de ser a mais importante. Renato Portaluppi, Luan e muitos outros vestiram o número sagrado do tricolor. No entanto, essa história poderia ter sido diferente.

Isso porque o Grêmio quase teve a oportunidade de ter o maior camisa 10 da história do futebol em seu elenco. Sim, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, quase foi um jogador tricolor. Com a exibição da Copa do Mundo de 1970, conquistada pelo Brasil, nos Canais SporTV, a história foi relembrada pelo site globoesporte.com.

A história aconteceu em 1957, um ano antes da primeira Copa do Mundo conquistada pelo Brasil, na Suécia. Na época, Pelé ainda era um jovem garoto de 16 anos, que estava em excursão com o Santos pelo Rio Grande do Sul. Na época, os jogadores mais jovens normalmente acabavam sendo negociados para adquirir experiência.

Em 57, Pelé ainda dava os primeiros passos no futebol e a ideia de fazê-lo ganhar bagagem também foi levantada pelos dirigentes santistas, que iniciaram conversas com os mandatários do tricolor. A negociação, no entanto, não foi para frente. Em 2013, em entrevista ao Zero Hora, o Rei relembrou o caso.

— Uma história verdadeira, quando já estava no Santos, no início da minha carreira, ocorriam alguns empréstimos de jovens para pegar experiência. O Santos fez uma excursão pelo Sul. Jogamos em Pelotas, Rio Grande e quase que eu fico no Grêmio, quase fui emprestado. Houve uma consulta por alguns jovens e eu era um deles. Depois saiu o Chinesinho. De vez em quando, eu brinco, quase reinicio no Sul, na equipe do Grêmio – contou.

No mesmo ano em que participou da excursão no Rio Grande do Sul, o jogador participou da Copa Roca, torneio disputado entre Brasil e Argentina, e vencido pela seleção por 3 a 2. Um ano depois, o Rei foi o camisa 10 do País na conquista da Copa do Mundo da Suécia. No Santos, Pelé colecionou conquistas e entrou para a história do futebol mundial.

Anos mais tarde, Pelé teve outro episódio marcante com o Grêmio

Em 1964, Pelé e Grêmio se reencontraram em mais um episódio marcante. Na época, o jogador já era bicampeão mundial de clubes e seleções, e já era considerado um dos maiores atletas de todos os tempos. O Santos era uma máquina de títulos, o time a ser batido no País.

Na ocasião, o Santos enfrentava o Grêmio pela semifinal da Taça Brasil de 1963, que acabou sendo finalizada apenas no ano seguinte. Pelé havia marcado três gols no confronto vencido pelo alvinegro por 4 a 3, mas o Rei precisou terminar a partida jogando no gol, porque Gylmar foi expulso no decorrer da partida.

Essa foi uma das vezes em que Pelé teve que substituir o arqueiro em partidas. Em outras três oportunidades, o Rei teve que ser o camisa 1 por um dia. No filme Fuga para a Vitória, de 1982, o jogador também interpretou um goleiro. A película foi estrelada por ele, Sylvester Stallone e outros astros do futebol e do cinema.

Confira também:

Fechar