Notícias

“Sou louco pelo Grêmio” afirma lateral Wendell, hoje na Alemanha

Jogador falou sobre seu desejo de retornar ao clube e vestir a camisa da seleção brasileira

O lateral-esquerdo Wendell, de 26 anos, teve uma passagem rápida, porém marcante, pelo Grêmio. Contratado em 2013 junto ao Londrina, o jogador caiu nas graças da torcida e atraiu a atenção de clubes do exterior por ser jovem e promissor. No segundo semestre de 2014, ele foi vendido para o Bayer Leverkusen, da Alemanha.

Mesmo com a rápida passagem por Porto Alegre, o jogador manteve o carinho pelo clube. Em entrevista ao podcast GE Grêmio, do globoesporte.com, Wendell falou sobre a sensação de entrar na Arena e torcer pelo tricolor. Além disso, o lateral afirmou que recebe pedidos de torcedores para que retorne ao clube. Sua volta ao País, no entanto, não está nos planos.

— Fico feliz sempre que vejo alguém pedindo para voltar, o carinho que o torcedor tem por mim, que eu tenho pelo clube. Acho que é um clube que, se eu voltar para o Brasil, é o primeiro clube que vou deixar as portas abertas. Tenho carinho muito grande pelo Grêmio, aprendi a amar o Grêmio de uma maneira que não sei como — destacou.

Assim como nos outros países da Europa, o futebol alemão segue paralisado, por conta da pandemia de coronavírus. Mas, os clubes da Bundesliga mantém uma rotina de treinamentos com grande rigor e controle de higiene e de prevenção ao contágio. O país possui um dos menores índices de mortalidade por Covid-19 do continente, e já planeja o retorno das atividades.

“Sempre tive sonho de jogar na Seleção” diz Wendell sobre oportunidade

Em 2016, Wendell teve uma das grandes oportunidades da sua carreira. Durante as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, o jogador foi convocado para duas partidas, contra Bolívia e Venezuela. Desde então, o jogador segue com o sonho de vestir a amarelinha novamente, mesmo sofrendo forte concorrência na posição.

— Sempre tive sonho de jogar na Seleção, graças a Deus tive a oportunidade de estar com o grupo com o Tite. Tive oportunidade de estar com ele, mas a gente sonha sim. A concorrência é grande, mas temos que nos preparar para dar nosso máximo, chamar atenção outra vez e ter oportunidade para representar o país. Tenho que estar jogando bem aqui — afirmou.

Além da participação nas partidas em 2016, o lateral era uma das prováveis escolhas do treinador Rogério Micale para o grupo que jogou – e conquistou – o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos do Rio. Na Alemanha, Wendell é o jogador brasileiro com maior número de jogos pelo Bayer Leverkusen, superando nomes como o zagueiro Juan e do meio-campo Zé Roberto.

Confira também:

Fechar