Campeonato Brasileiro: confira todas as vezes em que um jogador do Grêmio foi artilheiro do torneio

Primeira vez foi em 1996, última em 2010

O Campeonato Brasileiro é a maior competição do futebol nacional. A edição de 1959 da Taça Brasil, organizada pela CBD, foi reconhecida como a primeira do torneio, que passou por diversos modelos até chegar ao atual de pontos corridos. O Grêmio foi vencedor em duas oportunidades, 1981 e 1996, mas nunca levantou a taça no novo formato.

Por outro lado, outro prêmio muito importante da competição é do artilheiro. Grandes nomes do futebol nacional conseguiram a glória de ser o goleador máximo da competição. Romário, Roberto Dinamite, Zico, Pelé. No Campeonato Brasileiro, o Grêmio teve o atleta com mais gols marcados por três oportunidades, em 1996, 2002 e 2010.

Em todas as vezes em que o clube teve um jogador como artilheiro da competição, a campanha refletiu os números. Na primeira, o Tricolor quebrou uma sequência de 15 anos e campeão do torneio. Em 2002, o time chegou nas semifinais, sendo eliminado pelo futuro campeão Santos. Em 2010, já no sistema de pontos corridos, o Imortal chegou na quarta colocação. Confira abaixo como foram essas artilharias.

Campeonato Brasileiro 1996 – Paulo Nunes – 16 gols

paulo-nunes-artilheiro-campeonato-brasileiro-1996
Paulo Nunes conquistou grandes títulos com a camisa gremista – Foto: UOL

Em 1996, o Grêmio chegava ao Campeonato Brasileiro como o melhor time da América, após conquistar a Libertadores do ano anterior. Comandados por Luiz Felipe Scolari, o Tricolor vinha como um dos favoritos à conquista da competição, mas havia perdido o goleador do time, o atacante Jardel. Coube a Paulo Nunes, o companheiro de ataque do ex-artilheiro, agora no Porto, de se tornar o homem-gol do clube.

No torneio, Paulo Nunes se tornou importantíssimo, fazendo gols decisivos e colocando o Grêmio na decisão contra a Portuguesa. Contra o time paulista, o camisa 7 marcou o primeiro gol na vitória da segunda partida, que deu o bicampeonato ao time mais copeiro do mundo. O “Diabo Loiro” terminou a competição com 16 gols, empatado com Renaldo, do Atlético Mineiro, além de entrar para a seleção da Bola de Prata da Revista Placar.

Campeonato Brasileiro 2002 – Rodrigo Fabri – 19 gols

rodrigo-fabri-artilheiro-campeonato-brasileiro-2002
Rodrigo Fabri marcou 19 gols no Campeonato Brasileiro de 2002 – Foto: Paulo Franken

Em 2002, o Grêmio tentava fazer uma grande temporada. Após vencer a Copa do Brasil de 2001, a equipe se classificou e chegou às semifinais da Libertadores do ano seguinte, mas acabou caindo para o futuro campeão da competição, o Olímpia. O Campeonato Brasileiro sobrava como a única opção de vitória do Tricolor na temporada. Na competição continental, Rodrigo Mendes foi o goleador máximo, com 10 gols em 10 jogos, igualando o feito de Jardel em 1995.

Novamente, o companheiro do homem-gol acabou se tornando o goleador máximo do Campeonato Brasileiro. Dessa vez, Rodrigo Fabri fez quatro gols a mais que Mendes, e acabou a competição com 19 gols, empatando com Luís Fabiano na artilharia do torneio. O Grêmio conseguiu chegar às semifinais, mas o time foi derrotado no placar agregado pelo Santos, que se tornou campeão após grande atuação da dupla Diego e Robinho.

Campeonato Brasileiro 2002 – Jonas – 23 gols

jonas-artilheiro-campeonato-brasileiro-2010
Jonas foi um dos artilheiros do Brasil em 2010 com 42 gols na temporada – Foto: Jefferson Botega

Em 2010, o Grêmio pretendia iniciar a década com um título de grande expressão. Desde 2001 sem vencer uma competição nacional e depois a conquista do Campeonato Gaúcho após três anos, o clube chegava ao Campeonato Brasileiro como um dos favoritos. No campo, no entanto, os resultados não fomo como o esperado, e após oito partidas sem vencer, o treinador Paulo Silas acabou sendo demitido, dando lugar ao ídolo Renato Portaluppi, que faria sua primeira passagem como técnico pelo Tricolor.

Durante o comando de Renato, o atacante Jonas subiu de produção e se tornou peça fundamental na equipe que chegou ao quarto lugar da competição, voltando a Libertadores após um ano afastado. O jogador foi responsável por 23 dos 68 gols da equipe no campeonato e se tornou o artilheiro isolado do torneio. Foi a primeira vez que o Grêmio teve o goleador máximo de forma isolada e também foi o primeiro gremista a conquistar o prêmio nos pontos corridos. O jogador também venceu o prêmio Bola de Prata da Revista Placar.