Fábio Aurélio considera sua passagem pelo Grêmio o pior momento de sua carreira

Jogador foi afastado pela diretoria em 2013 e não conseguiu mais retomar a carreira

A trajetória de Fábio Aurélio no Grêmio foi cercada de lesões e polêmicas. Contratado em 2012 pelo Tricolor, o lateral já havia atuado com o treinador Vanderlei Luxemburgo na seleção brasileira olímpica em 2000, e chegava para ser o titular da posição. Mas, antes mesmo de estrear pelo clube, sofreu uma lesão que o afastaria dos gramados pelo restante da temporada.

Antes de vestir a camisa gremista, Fábio Aurélio foi um jogador de sucesso na Europa. Revelado pelo São Paulo, o lateral vestiu a camisa do Valencia e do Liverpool antes de desembarcar em Porto Alegre. Seu histórico de lesões, no entanto, o atrapalhou no decorrer de sua carreira, é o que o próprio afirmou em entrevista ao globoesporte.com. Segundo o jogador, as contusões sempre o acompanharam em momentos cruciais.

— Fizemos um teste genético, e esse teste mostrava que o meu tecido conjuntivo era de má qualidade. Era genética naturalmente minha. Aí com dieta, sabendo mais ou menos, fomos tentando. Sempre pegaram em momentos crucias. Por exemplo, Dunga me convocou para jogos e tive a lesão na panturrilha. Era eu e o Michel Bastos, não fui e ele jogou a Copa. Às vezes você olha e pensa “putz, o que poderia ter alcançado se não tivesse tido os problemas?”. Mas tento ser otimista. Com tantos problemas, sou afortunado de voltar e dar conta do recado — afirmou.

Quando rompeu o ligamento cruzado no rachão, Fábio Aurélio não pode participar da campanha que levou o Grêmio à terceira colocação no Campeonato Brasileiro de 2012. Na temporada seguinte, estreou pelo Campeonato Gaúcho e entrou em campo por apenas cinco oportunidades, mas foi afastado pela diretoria do clube em julho, quando Luxemburgo deixou o cargo de treinador e Renato Portaluppi o assumiu em seu lugar.

“Quando chego já não tinha a roupa no meu lugar. Ali caiu ficha. O Seu Verardi me comunicou que não fazia parte dos planos do Grêmio com o Renato e teria que treinar separado. Foi uma coisa que me frustrou muito, sofri para reconquistar minha forma física e acreditava que poderia ainda responder às expectativas em campo. E fui privado disso, principalmente desta forma” (Fábio Aurélio)

fábio-aurélio-foi-afastado-em-2013
Entre março de julho de 2013, Fábio Aurélio atuou por apenas 5 partidas, suas únicas pelo Grêmio, e depois foi afastado – Foto: Tomas Hammes/globoesporte.com

A decisão do afastamento do lateral foi feita pelo então presidente do clube, Fábio Koff, falecido em 2018. A partir daí, Fábio Aurélio começou a treinar com as divisões de base do clube. Com 33 anos na época, o jogador decidiu que não daria sequência a sua carreira e decidiu se aposentar em 2014. Para ele, os fatos vividos em Porto Alegre são o pior momento de sua carreira, mas não culpa nenhum dos personagens envolvidos, nem ao clube.

— Foi um balde de água muito gelada. Nas vésperas da estreia, tive aquela fatalidade no rachão. Você sabe, infelizmente sofri muito com lesões na carreira, não foi só essa, mas pegou em um momento crucial, voltando para o Brasil, com ilusão renovada. Logo de cara ter uma notícia desta. Se machuca mais simples, até entende. É uma lesão longa, um prazo pré-determinado, não tem como adiantar etapas. Foi uma frustração muito grande – declarou.

Durante a entrevista, Fábio Aurélio também relembrou que poderia ter atuado na Copa do Mundo de 2010, mas sofreu uma lesão antes mesmo de conseguir entrar em campo pela seleção brasileira. Na época, a posição sofria uma grande deficiência de bons jogadores. Hoje, o ex-lateral atua como empresário e agencia atletas do futebol ao lado de Neto Genovez e Edu, que atuou no São Paulo com o jogador.