Notícias

Romildo garante confiança em trabalho de Renato: “O grupo do Grêmio é forte”

Presidente concedeu coletiva após resultados ruins da equipe

Os resultados ruins do Grêmio no retorno do futebol tem incomodado os torcedores. No Brasileirão, a equipe está a uma posição da zona de rebaixamento, e tem apenas uma vitória em oito partidas. Após as atividades desta terça-feira, Romildo Bolzan Jr., presidente do Tricolor, concedeu entrevista coletiva para falar sobre a situação do clube.

Na última semana, após a derrota para o Sport, o clube dispensou o meio-campo Thiago Neves, após protestos virtuais de torcedores. O caso mostrou as fragilidades do elenco, que venceu apenas três partidas nas últimas dez entre o Brasileiro e o Gauchão. Romildo, no entanto, garantiu que a desconfiança é normal, mas é um momento sem vitórias que o clube logo passará e, por isso, é preciso ser racional.

— Eu sou presidente do Grêmio pelo quinto ano. Já passei por descomposturas de todas as naturezas. Acertamos, erramos… O balanço é extremamente positivo. Não é a primeira vez que acontece e não é a primeira vez que é gerado um ambiente de desconfiança. Por quê? Porque o futebol é absolutamente emocional. Se tem alguma coisa que tem que acontecer, nesse momento, são as racionalidades e os exames dos ambientes. O Grêmio é um clube organizado, um clube vencedor, que está, de certa forma, vivendo um momento sem vitórias, mas que recupera logo ali na frente — garantiu o mandatário.

ROMILDO GARANTE RENATO NO CARGO

Romildo também foi questionado sobre a permanência de Renato Portaluppi no cargo de treinador. O ídolo gremista é, atualmente, o técnico de maior longevidade à frente de um clube do futebol nacional. O mandatário afirmou que ele possui a confiança do elenco e da diretoria, e por isso não acredita que esse seja um fim de um ciclo, ressaltando o desejo de mantê-lo no comando da equipe.

–– Vamos combinar. O Renato é vitorioso no clube, tem completo domínio do elenco, a confiança da direção, portanto um fim de ciclo com esse grupo, só se efetivamente errarmos todos os diagnósticos. Não acredito nisso. Mas o clube é um clube que renova. Se observarmos que algo preciso de interferência, claro que vamos fazer o debate. Mas não o debate autoritário, do cacique, do ditador. Fizemos em 2015. Se tiver outro diagnóstico a ser feito, será feito –– completou.

Nesta quinta-feira, o Grêmio terá uma nova chance de se recuperar, jogando contra o Bahia, fora de casa. Caso não consiga mais uma vitória, Romildo e sua diretoria terão trabalho nos próximos dias.

Fechar