Cavani se despede de Paris, mas diretoria do Grêmio nega qualquer negociação com atacante

Uruguaio poderia ser "presente de aniversário" do clube, que completa 117 anos nesta terça-feira

Nesta terça-feira, dia 15 de setembro, o Grêmio comemora 117 anos de existência. E tem torcedor que acha que o clube ganhará um presente de peso. O uruguaio Edinson Cavani, que vem sendo especulado no Tricolor, se despediu de Paris no fim de semana e não tem um destino confirmado para a próxima temporada.

De acordo com informações das últimas semanas, Cavani tem desejo em atuar por um time da América do Sul antes de encerrar a carreira, de preferência para disputar uma Libertadores. No entanto, o jogador ainda tem propostas da Europa e estava na França para tentar decidir seu destino em 2020/2021. Mas, por enquanto, o atacante ainda não foi anunciado em nenhum clube do continente.

Com a janela europeia próxima de se encerrar, a expectativa do torcedor gremista aumentou. O Grêmio ainda segue no mercado a procura de um centroavante, e Cavani poderia assinar imediatamente, já que está sem clube. A diretoria do clube, porém, negou que haja negociações com o uruguaio. Após o empate contra o Fortaleza, na tarde deste domingo, o treinador Renato Portaluppi reiterou a posição dos dirigentes.

– Se tratando do Cavani, que se despediu lá fora, é o sonho de todo o treinador. É diferenciado, de Copa do Mundo. Por onde passa, faz muitos gols. Serve e cai como uma luva, mas não vamos sonhar. Já teve uma ou outra conversa, mas os números são muito altos. É difícil o jogador viver a realidade do Brasil para jogar num clube brasileiro. Talvez o Flamengo teria condições. Ou ele se encaixa na parte financeira, ou fica muito difícil. Já é difícil um brasileiro. Imagina o Cavani – afirmou o treinador.

O vice-presidente de futebol do clube, Paulo Luz, também afirmou que não há negociações em curso com o atacante, ex Paris Saint-Germain. De acordo com o dirigente, a “novidade” que o Grêmio terá nesta terça é a viagem para o Chile, para disputar a terceira rodada da Libertadores, contra o Universidad Católica.