Com 43 anos, Falcão chega ao Fut7 do Grêmio e fala em “renascimento”

Lenda do futsal já estreou com Hat-Trick

Falcão é, reconhecidamente, um dos maiores atletas da história do futsal mundial. Bicampeão do mundo com a seleção brasileira e eleito por quatro vezes o melhor jogador do mundo pela FIFA, seu currículo dispensa comentários.

Aos 43 anos e aposentado nas quadras, a lenda aceitou um novo desafio na sua carreira: ser a estrela do time de futebol 7 do Grêmio, que disputará a Liga Nacional e a Liga das Américas da categoria.

Esta não é a primeira “aventura” do jogador fora do futsal. Em 2004, Falcão atuou pelo São Paulo, no futebol de campo, durante 13 partidas. Também defendeu o tricolor paulista no showbol, além de vestir as cores de Madureira e Vasco no futebol 7. Agora, a sua missão, segundo o próprio afirmou em entrevista ao ge, é trazer um legado para o esporte, além de títulos para o Rei de Copas.

— Não tenha dúvida, o meu principal motivo de ter aceitado esse desafio é deixar um legado. Para que possa profissionalizar. Hoje o futebol 7 do Grêmio tem um preparador físico, tem um treinador, tem um auxiliar, tem um massagista, tem o fisioterapeuta, tem os jogadores que já moram aqui na cidade para vivenciar isso. E só o Grêmio tem isso. Então, espero cada equipe colocando direta ou indiretamente 50, 60 empregos — afirmou.

FALCÃO FALA EM RENASCIMENTO

Falcão quer criar legado no Futebol 7 do Grêmio
Foto: Luciano Marciel | Grêmio

A chegada a Porto Alegre trouxe um novo ânimo ao craque. Mesmo com pouco tempo de entrosamento com os companheiros, Falcão pediu para jogar na tarde deste sábado, contra o Estudiantes-RS, pela primeira fase da Liga Fut7, etapa sul. Para ele, o novo desafio é um “renascimento”, e declarou sua meta como atleta gremista.

— Eu não vivenciei essa coisa do torcedor fanático. Com 43 anos, estou vivendo isso. Estou renascendo, e a minha meta é ser campeão pelo Grêmio — confessou.

A chegada do craque, é claro, gerou reações de torcedores e também dos jogadores de futebol de campo. Perguntado se a sua nova caminhada geraria uma aproximação entre o fut7 e o futebol profissional do Tricolor. Falcão declarou que a relação já começou certa com o acolhimento do clube, além de uma mensagem enviada por Renato Portaluppi.

— Acho que isso já começou certo, quando o Renato mandou mensagem, quando o clube abraçou. Conheço alguns jogadores e tenho certeza que esse elo vai acabar criando amizades muito boas. Eles já abraçaram, estão querendo ver os jogos e nós também, claro. Como moro em São Paulo, quando o Grêmio for lá, vou visitá-los. O futebol 7 do Grêmio pode estar em lugares que o futebol não vai. Pode ser um braço de vender a marca, de trazer torcedores que nunca viram futebol de campo. Quantas cidades têm no interior do Rio Grande do Sul que talvez o futebol nunca irá, mas o fut7 pode ir. No Paraná, em Santa Catarina.

E a relação do jogador com o clube também parece ter começado com o pé direito. Na tarde deste sábado, Falcão fez a estreia pelo Fut7 do Grêmio e marcou um hat-trick na goleada do Imortal sobre o Estudiantes por 9 a 2. Após o jogo, o craque disse estar “emocionado” com o retorno.