Polêmica! Relembre 6 jogadores que se transferiram para um clube rival e irritaram torcedores

O futebol é um esporte mais do que centenário. Criado na Inglaterra, logo conquistou a popularidade em muitos países, pela praticidade para jogá-lo. Basta apenas uma bola – ou algo que se assemelhe – e pessoas.

Com o passar do tempo, a prática foi se tornando mais profissional, e os jogadores, que são os protagonistas do espetáculo, começaram a se tornar cada vez mais valiosos para os clubes.

Tratando-se de um esporte tradicional em muitos países, tivemos o nascimento de mais de uma grande equipe em uma cidade, o que gerou o nascimento de rivalidades, que vão além do campo, passando pelo imaginário da população e fazendo parte do cotidiano.

Alguns atletas, no entanto, ousaram romper essa barreira, e decidiram, após fazer história em um clube, se transferir para o rival. As reações, é claro, são as mais variadas. Na maioria das vezes, a torcida da equipe de origem se sente traída, protesta e encerra as juras de amor que fazia por ele.

Nesse post, você conhece – ou relembra – 8 jogadores que se transferiram para um clube rival e irritaram torcedores.

Até uma cabeça de porco já foi arremessada contra um desses jogadores!

Treta! 8 jogadores que decidiram jogar pelo rival e deixaram os torcedores p#$* da vida!

1. Paulo Nunes, ex-Palmeiras, no Corinthians (2001)

Paulo Nunes é um dos jogadores que se transferiu para o maior rival, em 2001, quando foi jogar no Corinthians, após grande carreira no Palmeiras
Foto: Reprodução

Paulo Nunes é um dos jogadores mais irreverentes do futebol brasileiro. Com grande carreira no Grêmio, no meio da década de 90, se transferiu para o Palmeiras, a pedido do treinador Luis Felipe Scolari, e lá também teve uma trajetória de sucesso, se tornando ídolo em uma época em que a rivalidade com o Corinthians atingia patamares nunca vistos.

Após sair do alviverde e rodar por alguns clubes, incluindo o Grêmio, o atacante resolveu aceitar uma proposta do alvinegro para jogar no Parque São Jorge, onde era odiado por torcedores. O resultado foi uma relação de apenas seis meses, ira de corintianos e palmeirenses, quatro gols em 25 jogos e a certeza de que foi o maior erro de sua vida vestir a camisa do maior rival do clube onde foi ídolo.

2. Roberto Baggio, ex-Fiorentina, para a Juventus

Roberto Baggio era um dos jogadores mais amados da Fiorentina, quando se transferiu para a Juventus em 1990
Roberto Baggio era um dos melhores jogadores do mundo nos anos 90 – Foto: Reprodução

Quando você lê o nome de Roberto Baggio, automaticamente é transportado para a final da Copa de 1994, onde o jogador isolou a última cobrança da Itália na disputa de pênaltis contra o Brasil, que definiu a conquista do tetracampeonato mundial da seleção. Naquela época, o camisa 10 italiano era considerado um dos melhores jogadores do mundo, vindo de grandes anos como craque da Juventus.

Sua transferência para a equipe de Turim, no entanto, foi conturbada. Baggio era o craque da Fiorentina em 89, e foi vendido para a Juve por 8 milhões de libras em 1990. A torcida da Viola chegou a cercar o gabinete do presidente do clube, Flavio Pontello, em um evento que deixou mais de 50 feridos. Meses depois, Baggio se recusou a bater um pênalti contra a Fiorentina, declarando ter seu coração “roxo”, das cores do clube. Isso, é claro, gerou mais confusão, com cerca 300 torcedores invadindo um treino da equipe Juve para confrontar o craque.

3. Ronaldinho, ex-Grêmio, para o Flamengo

Ronaldinho, ídolo do Grêmio, voltou para o Brasil e foi jogar no... Flamengo
Foto: Reprodução

Ronaldinho, no começo da década passada, ainda era considerado um dos maiores jogadores do futebol mundial. Depois de uma ascensão meteórica na Europa, encantando multidões, e fazendo os torcedores do Real Madrid aplaudirem-o de pé no Santiago Bernabéu, após uma exibição de gala contra os donos da casa, entrou em decadência técnica e física, e via sua carreira na Europa caminhar para o fim.

Com isso, o Brasil se tornou uma opção viável para o retorno do jogador, que na época tinha pouco mais de 31 anos de idade. O Grêmio, seu clube de formação e de coração, era o favorito, e parecia tudo certo para o seu anúncio, tanto é que o a diretoria mandou serem colocadas caixas de som no antigo Estádio Olímpico para a festa de chegada do meia. No fim, ele e seu irmão, Assis, que também jogou no Tricolor, decidiram aceitar a proposta do Flamengo, o que provocou o ódio eterno da torcida gremista.

4. Ashley Cole, ex-Arsenal, para o Chelsea

Ashley Cole conversou com José Mourinho quando ainda era jogador do Arsenal, o que acabou causando uma punição para os Blues por aliciação de atletas
Foto: Reprodução

Ashley Cole é considerado um dos maiores jogadores da história do futebol inglês. O jogador, que se aposentou há poucos anos, teve um início de carreira muito bom no Arsenal, onde conseguiu um título do campeonato nacional de forma invicta, além de se tornar o titular da seleção inglesa, disputando três Copas do Mundo.

Em 2005, após mais uma grande temporada pelo Arsenal, Cole teve um encontro com José Mourinho em um café londrino. O problema é que Mourinho era treinador do Chelsea, rival direto do clube e a conversa foi para convencer o jogador a atuar nos Blues. A negociação se concretizou, mas Chelsea, Mourinho e Cole foram multados em milhares de libras, e o lateral se tornou super-vencedor no clube, mas odiado por uma parte da capital inglesa.

5. Fred, ex-Fluminense, para o Atlético-MG, e depois para o Cruzeiro

Fred, um grande ídolo do Cruzeiro, deixou uma dívida milionária no clube por conta de uma transferência... do Atlético-MG
Fred é um dos únicos jogadores que aturam pelos três grandes de Minas Gerais – Foto: Reprodução

Fred é um dos únicos jogadores que atuou pelos três clubes mais populares de Minas Gerais. Revelado pelo América-MG, foi comprado pelo Cruzeiro em 2004 e logo se tornou o centroavante titular da equipe. Foi vendido para o Lyon, fez parte do elenco do Brasil na Copa de 2006, e em 2009 se transferiu para o Fluminense, onde se tornou o maior ídolo da história do clube. Em 2016, após um atrito com a diretoria foi para o Atlético-MG, maior rival do Cruzeiro, o que despertou a ira dos torcedores.

Na transferência, tinha uma cláusula que obrigava o jogado a não se transferir para o Cruzeiro. No entanto, foi exatamente isso que aconteceu. Em 2017, acabou indo parar na Toca da Raposa, conquistando dois títulos de Copa do Brasil, mas sendo apontado como um dos responsáveis pelo rebaixamento do clube para a Série B do Brasileirão, em 2019. Além disso, deixou para a Raposa uma multa de mais de R$ 10 milhões por conta da transferência do Galo para o rival.

6. Luís Figo, ex-Barcelona, para o Real Madrid

Figo, um dos maiores jogadores da história de Portugal, teve uma cabeça de porco arremessada em sua direção durante um Real Madrid e Barcelona
Figo se tornou um dos jogadores mais odiados na Catalunha, após se transferir para o Real Madrid, em 2000 – Foto: Getty Images

A história da transferência de Luís Figo para o Barcelona é, provavelmente, a mais bizarra contada até aqui. Mas, primeiro, é necessário relembrar a história do português no clube catalão. O jogador, que no fim da década de 90 formava um esquadrão ao lado de Guardiola, Luis Henrique, Rivaldo e Geovani era um dos maiores ídolos de uma época em que o clube não era o multi-campeão como foi depois, com Ronaldinho e Messi.

Mas, o jogador atraiu os olhares de Florentino Perez, candidato a presidência do Real Madrid em 2001, que prometeu contratar o jogador caso fosse eleito. E, depois de um encontro com Figo, prometeu lhe parar 1,6 milhões de libras caso não fosse eleito o presidente do clube. Mas, caso fosse eleito, o português teria que transferir para o rival ou pagar 19 milhões de libras. Com as chances de Florentino sendo pequenas até ali, Figo aceitou.

Acontece que o candidato venceu a eleição, e Figo acabou ficando numa saia justa. Com isso, teve que aceitar a proposta e se transferiu para o Real Madrid. Isso fez com que ele se tornasse um dos jogadores mais odiados do futebol mundial naquela altura, com a torcida do Barcelona, inclusive, arremessando objetos em sua direção durante um El Clásico. Até mesmo uma cabeça de porco foi arremessada em direção ao craque.