Pressão sobre treinadores é criticada por Renato: “Ninguém tem paciência”

Técnico comentou as demissões de Dome e Coudet, ocorridas no início da semana

No início deste semana, dois treinadores estrangeiros encerraram suas passagens pelo Brasil de formas distintas. Enquanto o argentino Eduardo Coudet pediu dispensa do Internacional, líder do Campeonato Brasileiro, o espanhol Domenèc Torrent foi demitido do Flamengo, após sofrer duas goleadas consecutivas.

O assunto, é claro, foi pauta durante a entrevista coletiva de Renato Portaluppi após a vitória diante do Cuiabá. O treinador, que é o mais longevo entre os clubes da Série A do Brasileirão, deu a sua opinião sobre a situação dos treinadores no País. Para ele, não há paciência de nenhuma das partes – diretoria, torcedores e imprensa – para que o trabalho seja desenvolvido.

– Infelizmente, a gente trabalha no Brasil, toda hora todo mundo quer que seu time ganhe, tem que dar resultados. Ninguém tem paciência, o torcedor não tem, vocês da imprensa não têm, é fácil todo mundo criticar, criticar, criticar – reclamou.

A demissão de Coudet foi usada por Renato para exemplificar a situação dos treinadores no futebol brasileiro. O técnico pediu para ser dispensado, após atritos com a diretoria colorada. Para o treinador gremista, o “massacre” sobre o profissional o torna refém de outras pessoas, que acabam decidindo sobre a sua carreira.

– Quando não dá resultado, toma pontapé na bunda e fica por isso. Aí o treinador pede para ir embora e falam que não pode? Por que não pode? Tivemos o exemplo do Coudet. É massacre no treinador, toda hora é o culpado. Choveu, culpado. Ganhou, é obrigação. Perdeu, treinador culpado. É difícil – afirmou.

Logo após o retorno do futebol, Portaluppi teve um período conturbado à frente do Tricolor. Com um início muito ruim no Campeonato Brasileiro e tropeços na Libertadores, chegou-se a cogitar a sua demissão e especular novos treinadores para a equipe. No entanto, a diretoria gremista garantiu o técnico no cargo. Hoje, a equipe vem de seis vitórias consecutivas, um recorde sob o seu comando. Contra o Ceará, neste sábado (14), pode aumentar essa façanha.