Após arrancada, Renato alfineta críticos: “O Grêmio está buscando o título”

Tricolor está a cinco pontos do líder, Atlético-MG, com um jogo a menos

O início do Campeonato Brasileiro do Grêmio foi um prato cheio para os críticos. Com apenas uma vitória nas primeiras sete partidas e uma montanha de empates, muitos já consideravam a passagem de Renato Portaluppi, treinador mais longevo do futebol brasileiro, como encerrada.

No fim de novembro, já no segundo turno do Brasileirão, a história é outra. Após emplacar uma série histórica de vitórias na competição e na Copa do Brasil, o treinador está mais forte que nunca no cargo, além de ter renovado seu vínculo até o fim da temporada, que vai até fevereiro de 2021.

São oito vitórias e um empate nos últimos nove jogos, com a classificação para as semifinais da Copa do Brasil e uma “decolagem” no Brasileirão, agora em oitavo colocado com 34 pontos, empatado com as duas equipes a sua frente, Santos e Palmeiras, e a cinco pontos do líder, Atlético-MG, com um jogo a menos.

Renato utilizou seu espaço na entrevista coletiva após o empate contra o Corinthians para alfinetar os críticos a sua permanência e ao início ruim da equipe. De acordo com o treinador, eles deveriam pedir desculpas, tanto ao clube quanto a ele, pela interpretação de que o time havia “desistido” de disputar o título nacional.

— O Grêmio está buscando o título. Não briga por vaga na Libertadores ou pra não ser rebaixado. O Grêmio briga pelo título. Desde o início. Para alguns, porque o Grêmio não começou bem, acharam que não queria nada no Brasileiro. Alguns deveriam ter a humildade de pedir “desculpa Renato, desculpa Grêmio”, nós interpretamos mal – afirmou.

Se, para os críticos, a sequência de empates no começo da competição poderia ser um sinal de que a equipe faria uma campanha ruim, hoje se mostra ao contrário. Dos oito primeiros colocados no Brasileirão, o Grêmio é o segundo time que menos perdeu, com três derrotas, apenas uma a mais que o São Paulo, terceiro colocado, que tem duas derrotas.

– Estamos a cinco pontos do líder, estamos para brigar pelo título. É o objetivo. Com respeito a qualquer equipe. Muita gente achou que não começou tão bem, lembro que lá atrás, “ah o Grêmio empatou mais uma, mais uma”. Junta os pontinhos e vê onde está agora. Em oitavo, mas com um jogo a menos e a cinco do líder — completou.

E, contrariando os críticos ao seu trabalho, Renato vai para mais um recorde no comando do Tricolor. Na quinta-feira, contra o Guaraní, pela ida das oitavas de final da Libertadores, em Assunção, no Paraguai, o treinador chegará a sua 393ª partida à frente da equipe, igualando o recorde de Oswaldo Rolla, de técnico que mais comandou o Grêmio em toda a sua história.