Categorias
Blog do Ilgo

Grêmio deixa de somar três pontos com erros seus e da arbitragem

Com tantas suspeitas sobre as arbitragens ( juiz de campo e VAR) no Brasileirão não posso duvidar que o árbitro Wilton Pereira Sampaio tenha sofrido uma reprimenda de um superior no intervalo de Grêmio x Santos.

Seria algo assim, fruto da minha imaginação neurótica:

‘Onde já se viu dar pênalti do Pará e John com Pepê? ‘, alguém poderia ter questionado, observando que foi um lance confuso, daqueles que o juiz pode dar ou não dar, dependendo do time beneficiado ou prejudicado.

‘Veja o que vc vai fazer no segundo tempo, hein?’.

Aí, no segundo tempo, dois pênaltis para o Santos. O primeiro, com Matheus Henrique na jogada, o juiz marcou pênalti. Os jogadores do Grêmio insistiram para que ele consultasse o VAR. Diego Sousa levou amarelo de tanto reclamar. Kannemann também.

Mas Wilton, do alto de sua autoridade e arrogância, não quis revisar o lance. Um pênalti daqueles que o juiz pode dar ou sonegar, dependendo das partes envolvidas, ao que parece.

Aí, outro lance confuso na área do Grêmio, que vencia por 3 a 2 faltando poucos minutos para terminar o jogo. O atacante Luiz Fernando salta para cabecear a movimenta os braços – não conheço ninguém que consegue saltar com os braços colados ao corpo. Bem, esses lances são sempre discutíveis.

Foi então que o mesmo juiz que não aceitou consultar o VAR no lance anterior, pediu para ver o vídeo, onde aparece a bola na mão do jogador gremista. Prato feito para o juiz marcar a infração, apesar de tudo muito duvidoso.

Assim foi o jogo sob o ângulo de análise da arbitragem. Um 3 a 3 com forte influência da arbitragem. Como disse Matheus Henrique, após o jogo, fica complicado falar depois do que aconteceu no Grenal e continua acontecendo apesar dos protestos e das denúncias.

Sobre este assunto, meu porta-voz é o Neto, que usa seus espaços para atacar o descalabro que ocorre, enquanto a maior parte da mídia nacional (em especial a gaudéria), silencia.

O JOGO

Bem, a gente já viu que a arbitragem foi decisiva, sem intenção, claro. Errar é humano…

Agora tem a parte do Renato. O futebol do time por momentos foi aquele que eu gosto. Os gols foram de jogadas tramadas, toque rápidos, inteligentes. Um show.

Mas aí aparece o maestro para fazer alterações que acabam prejudicando o time. Isso tem acontecido com frequência. Alguns dos empates podemos atribuir ao Renato.

Não entendi por que saiu o Lucas Silva, o único que realmente marca no meio de campo. Colocar Thaciano por que? Não dava para seguir com o mesmo time até o fim? O Santos tinha um jogador a menos quando chegou ao empate.

O Grêmio tinha controle do jogo.

Então, Renato deveria ser mais cirúrgico nas alterações, já escrevi sobre isso.

Ainda sobre o terceiro gol do Santos, nos acréscimos!!!!!

O lateral Diogo Barbosa, com a bola dominada na linha de fundo, resolveu chutar nas pernas de seu marcador. A bola bateu no adversário e bateu nas pernas do ‘esperto’ lateral do tricolor, contratação cara que ainda não se justificou, e que só me faz ter saudade do Cortêz.

Quer dizer, se DB não quisesse inventar faltando minutinhos para o jogo terminar, o Grêmio teria, finalmente, somado 3 pontos, mesmo com erros da arbitragem.

Outra decepção: Rodrigues. Mas o que foi aquilo no primeiro gol do Santos? Eu vi uma meia-lua ou foi impressão minha? Quer coisa mais anacrônica que uma meia-lua no futebol atual?

Rodrigues tem potencial, mas está se tornando um perigo na área. Geromel não volta até a final da Copa do Brasil. Acho que Brás merece novas oportunidades para disputar com Rodrigues.

Começando a rezar para que Geromel antecipe seu retorno.