Categorias
Blog do Ilgo

Felipão viu que sem reforços o time não irá 'decolar'

A principal conclusão que eu tiro após esse empate por 0 a 0 no Grenal nº 433 é que Felipão terá dificuldade para resgatar o Grêmio da zona de rebaixamento. Ainda mais se a direção não providenciar urgente alguns reforços: um meia, um volante, camisa atacante centralizado e, principalmente, um lateral-esquerdo.

Fora isso, a missão de tirar o time da humilhante posição em que se encontra será impossível.

O fato de jogar tão mal contra um Inter que também corre risco de cair confirma isso. O Grêmio praticamente não criou situação real de gol. O goleiro Daniel foi um espectador dentro de campo, enquanto o goleiro Chapecó impediu o pior. Imaginem, perder o clássico na Arena e afundar ainda mais no campeonato.

Felipão, conforme estava previsto, manteve a estrutura da equipe, e não poderia ser diferente, porque mal começou a conhecer o grupo. O ‘treino’ dele foi uma conversa. Até aí tudo certo, o problema é que não havia necessidade de começar com Alisson, o atrasa-jogo.

No mais, gostei da experiência com Fernando Henrique, um volante que vinha gritando por uma chance sem ser ouvido de verdade.

Diferente de muitos, gostei também do Bobsin. Ele, assim como FH, ainda podem evoluir muito, se não forem detonados pela própria torcida tricolor.

Achei que Felipão demorou muito a colocar Vanderson no lugar de Rafinha, que fez outra partida modesta, bem abaixo do que seu currículo indica.

A lateral-esquerda é um caso a ser estudado. É como verão e inverno. Quando é verão, sinto falta do inverno: quando é inverno, sonho com o verão. No caso de Cortêz e Diogo Barbosa, a situação é parecida. O fato é que os dois são insuficientes. Escalar qualquer um deles é uma temeridade.

Outros que ficaram abaixo do que podem: Ferreira, que saiu lesionado, Diogo Costa e Diego Souza.

Os dois zagueiros foram muito bem, calando a bola dos corneteiros. Kannemann foi demais.

E aí chegamos ao goleiro. O Grêmio não teve uma chance clara de gol, enquanto o Inter chegou quatro vezes em condições de marcar. Em todas, esbarrou em Chapecó.

Agora, Felipão terá um tempo para colocar suas ideias e fazer as mudanças necessárias para o time ‘decolar’, como diria Renato Portaluppi, que foi escorraçado da Arena por uma minoria cri-cri.