Thaís Cachuté Paradella

Thaís Cachuté Paradella

Experiência em escrita e publicação de artigos nacionais e internacionais em diversas revistas. Experiência em criação de conteúdo e textos para diversos blogs na internet.
  • Tricolor quase não levou perigo ao gol palmeirense e saiu derrotado da Arena por 1×0

    A situação do Grêmio se complicou. Após a derrota em casa por 1 a 0 na Arena, o time enfrenta uma pressão maior e a responsabilidade de tentar virar o jogo na casa do adversário semana que vem. Se quiser ter chances, o time precisa ser mais agressivo para reverter o placar e passar para a próxima fase da Libertadores.

    O time tem mostrado pouco ímpeto ofensivo. Prefere um estilo mais cadenciado, mas que exige certa dose de paciência e também de criatividade para fazer o adversário ceder espaços. Desde a volta da parada, foram 11 jogos e 16 gols marcados, média de 1,45 por partida. Algo que voltou a ficar evidente contra o Palmeiras, especialmente imbuído em não ceder qualquer centímetro próximo da área.

    O resultado foi um time com muito mais posse de bola – 70% do tempo – e com o caminho dos lados do campo, justamente o que parecia querer Felipão. Os cruzamentos, quando passavam a primeira barreira, eram sacados por Luan, Gustavo Gómez e Bruno Henrique.

    As tentativas próximas da meia-lua encontravam pés adversários. Nenhuma chance clara para os azuis em 90 minutos.

    Têm dias que as coisas não vão dar certo como costumam dar para o Grêmio. Não fomos tão bem, mas o Grêmio jogou bem. Talvez o que tenha faltado tenha sido um pouco mais de finalizações. Isso a gente sabe que precisa melhorar – admitiu Renato depois da partida.

    O esquema de jogo do Grêmio se repetia. Jogo pelo lado esquerdo, com Everton na tentativa individual ou passe para Juninho Capixaba, sempre o mais aberto do time, em profundidade. Em nenhum momento, por exemplo, houve uma inversão disso para o atacante, geralmente mais rápido e habilidoso, tentar a jogada em velocidade para a linha de fundo e quebrar as linhas.

    O Tricolor afunilou o jogo e acabou amarrado. Contra um time muito físico, como disse Kannemann antes da partida, a troca de passes rápida na entrada da área poderia gerar espaços para os atacantes.

    Luciano e Diego Tardelli entraram para mudar o panorama, mas o panorama em campo se manteve igual.

    A gente vai ter que se preparar melhor, porque faltou o último passe. A gente estava criando, com passe entre linhas, volume de jogo, posse de bola no campo deles, mas faltou mesmo finalização. Vamos trabalhar bem para fazer um grande jogo lá em São Paulo – opinou Matheus Henrique.

    Com a derrota, o Grêmio precisa vencer o Palmeiras no jogo de volta para se classificar às semifinais da Libertadores. Se devolver o placar da Arena, a decisão vai para os pênaltis. Em caso de vitória por um gol de diferença a partir de 2 a 1, garante a classificação.

    O segundo encontro das quartas de final ocorre na terça-feira da próxima semana, no Pacaembu. Antes, o Tricolor recebe o Athletico-PR pelo Brasileirão, no sábado, às 17h, na Arena, com reservas. A reapresentação ocorre na tarde desta quarta, no CT Luiz Carvalho.

    Fonte: GloboEsporte.com

  • Kannemann se inspira em Athletico e pede Grêmio “no limite” contra o Palmeiras

    Zagueiro gremista pede atenção com Dudu

    O Grêmio, nas palavras do zagueiro Kannemann, tem a receita contra o Palmeiras na Arena, às 21h30, nessa terça-feira pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores. Nas palavras do zagueiro, o Tricolor precisa repetir o desempenho que teve na vitória contra o Athletico-PR pela Copa do Brasil.

    Diante do Furacão, o time gaúcho dominou a partida e superou o adversário por 2 a 0 em casa – o que garantiu boa vantagem para o confronto de volta, em Curitiba. Para Kannemann, o Grêmio necessita chegar ao “limite físico” para repetir o desempenho.

    Precisamos estar 100% focados no jogo, no limite físico, como fizemos contra o Athletico. Somos duros, difíceis. Precisamos entrar mentalmente focados, fazer um jogo físico e também técnico para dar a melhor cara do Grêmio – avalia. – É preciso jogar desse jeito hoje em dia. Quem atua em nível abaixo, dá brecha. E não podemos dar.

    Kannemann ressaltou a necessidade de não sofrer gol em casa no duelo de ida. Afinal, os confrontos pela Libertadores têm saldo qualificado.

    Se ganharmos o primeiro jogo e não sofrermos gol, será fantástico. Mas são jogos de 180 minutos, temos que levar um problema menor para lá para São Paulo. Precisamos ganhar nosso jogo e depois vemos o que acontece. São os primeiros 90 e temos que tentar converter e não tomar. E levar alguma vantagem para lá. Não vai ser fácil – avalia.

    Dudu é preocupação gremista

    O zagueiro ainda alertou para a qualidade e velocidade de Dudu. Foi justamente o atacante do Palmeiras que fez o gol do time paulista no empate em 1 a 1, no último sábado, na Arena, pelo Brasileirão.

    É muito rápido, muito técnico. Faz tempo que está em um momento muito bom. Vamos ter que tomar cuidados com ele como tomamos com todos os jogadores. Que todo mundo esteja com o olho bem aberto – analisa.

    O confronto entre Grêmio e Palmeiras começa às 21h30 desta terça, na Arena, pela Libertadores. O jogo de volta ocorre na próxima terça, no Pacaembu, em São Paulo.

    GRÊMIO X PALMEIRAS – LIBERTADORES – QUARTAS DE FINAL

    • Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre.
    • Data e horário: terça-feira (20/08), às 21h30.
    • Time provável do Grêmio: Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kanemman e Cortez; Maicon, Matheus Henrique, Alisson, Jean Pyerre e Everton; André.
    • Time provável do Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Bruno Henrique, Felipe Melo, Dudu, Gustavo Scarpa e Zé Rafael; Luiz Adriano.

    Fonte: GloboEsporte.com

  • Grêmio x Palmeiras: chegou o dia do grande jogo

    Após empatar em 1 a 1 pelo Brasileirão, Grêmio x Palmeiras voltam a se enfrentar, mas desta vez pela Libertadores. As duas equipes fazem o primeiro duelo das quartas de final, a partir das 21h30, na Arena, em Porto Alegre. A volta será no dia 27, no Pacaembu.

    Os dois times terão mudanças em relação ao jogo do fim de semana. No Grêmio, Renato Gaúcho volta a usar todos os titulares, poupados para o mata-mata. Do time que vai a campo, só Cortez jogou no sábado, por falta de opção para a lateral esquerda. Felipão adotou estratégia semelhante e também poupou jogadores para a Libertadores.

    Será o 12º confronto eliminatório entre Grêmio e Palmeiras na história, o segundo pela Libertadores. Em 1995, gaúchos e paulistas fizeram dois jogos épicos nas quartas de final. O Tricolor venceu por 5 a 0, em Porto Alegre. O Verdão devolveu a goleada em São Paulo e fez 5 a 1, mas acabou eliminado pelo gol sofrido.

    Grêmio – técnico: Renato Gaúcho

    Sem titulares suspensos ou lesionados, Renato Gaúcho vai repetir a escalação que venceu o Athletico-PR, pela Copa do Brasil. André, que marcou o primeiro gol contra os paranaenses, justificou a confiança depositada pelo treinador e segue no comando de ataque. Luciano, inscrito na Libertadores, e Diego Tardelli ficam como opções para o segundo tempo.

    Palmeiras – técnico: Luiz Felipe Scolari

    Assim como Renato Gaúcho fez no Grêmio, Felipão poupou forças para o jogo desta terça-feira. Além dos três jogadores que estavam suspensos no Brasileirão (Diogo Barbosa, Felipe Melo e Zé Rafael), o treinador segurou Gustavo Scarpa, Luiz Adriano e Willian.

    No ataque, é improvável, mas Felipão pode testar uma formação com um centroavante mais Luiz Adriano pelo lado – o reforço vinha atuando assim no Spartak Moscou, como ele próprio disse em sua apresentação no Palmeiras.

    Fonte: GloboEsporte.com

  • Grêmio revive anos 90 em duelo épico

    Após empatar pelo Brasileirão, clubes se preparam para embate pela Libertadores

    A semana que se abre para o Grêmio terá um “Q” de anos 90. Isso porque o Tricolor reviverá contra o Palmeiras um dos principais clássicos daquela década. Após um empate, no sábado, a equipes voltam a se enfrentar nesta terça-feira, na Arena, pela ida das quartas de final da Libertadores.

    Para os nostálgicos, o confronto de 180 minutos será de reviver “emoção”. Já para o grupo gremista, será o duelo que “importa”, depois de uma prévia com times reservas pelo Nacional.

    Agora é outra competição, outro estado anímico e tem toda essa rivalidade que vem de muitos anos, inclusive dos anos 90. Nós esperamos um jogo épico entre Grêmio e Palmeiras, valendo pela Libertadores – afirmou o diretor de futebol Alberto Guerra.

    Na partida de sábado, Renato só utilizou dois titulares: o lateral-esquerdo Bruno Cortez e o atacante Everton (no segundo tempo). Do lado do Palmeiras, Felipão mandou a campo o goleiro Weverton, o zagueiro Gustavo Gómez e o atacante Dudu, além do volante Bruno Henrique e do lateral Marcos Rocha na segunda etapa.

    Agora, será a vez de utilizar força máxima. Como há saldo qualificado na Libertadores, o Grêmio tem duas preocupações: vencer e sem sofrer gol em casa.

    Na próxima terça, o gol é qualificado. Tem que tomar cuidado. A equipe toda do Palmeiras é muito boa, eles são letais. No momento em que eles têm três oportunidades, guardam uma. Pode ter certeza que o Palmeiras também vai tomar bastante cuidado com o Grêmio. É duelo do futebol brasileiro. É clássico, pelo tamanho dos clubes, das torcidas. Qualquer um pode passar para a próxima fase. Vamos ter muitas emoções nos 180 minutos. Pode ter certeza, haja coração – destacou o técnico do Grêmio Renato Gaúcho.

    Qualquer um pode passar para a próxima fase. Vamos ter muitas emoções nos 180 minutos. Pode ter certeza, haja coração”, afirmou Renato.

    Duelo dos anos 90

    Grêmio e Palmeiras se tornaram um dos maiores clássicos dos anos 90. Em se tratando de Libertadores, as duas equipes voltam a se enfrentar pelas quartas de final após 24 anos.

    1995 – Grêmio se destaca em duelo incrível

    Na primeira partida, o Grêmio de Felipão, hoje no rival, atropelou o Palmeiras com um sonoro fez 5 a 0 no Estádio Olímpico. Arce e Arilson abriram a porteira da goleada, completada por três gols de Jardel na etapa final. A partida ainda foi marcada pelas expulsões de Rivaldo, Dinho e Valber.

    Na volta, no Parque Antártica, os tricolores saíram na frente, com Jardel, e praticamente carimbaram a vaga. Mas o Palmeiras cresceu, encorpou e quase conseguiu o “impossível”, mas faltou um gol para isso: venceu por 5 a 1. Cafu, duas vezes, Amaral, Paulo Isidoro e Mancuso balançaram as redes pelo Verdão.

    Um novo capítulo da rica história entre esses clubes inicia às 21h30 desta terça, na Arena. A volta será uma semana depois, no Pacaembu. Serão dois embates com certeza de alto nível e emoção a flor da pele.

    Fonte: GloboEsporte.com

  • Léo Moura tem lesão e para por cinco semanas

    Departamento médico do Grêmio ainda não divulgou prazo de recuperação do atleta

    Após sentir uma lesão na coxa esquerda, no último sábado, no empate em 1 a 1 com o Palmeiras, Léo Moura passou por exames num hospital de Porto Alegre, na tarde deste domingo. O problema obrigou o lateral a ser substituído no segundo tempo da partida.

    O defensor tem lesão no músculo superior da coxa esquerda e desfalcará o Tricolor por cinco semanas. No entanto, o departamento médico do Grêmio ainda não divulgou o tempo de desfalque do jogador.

    O lance ocorreu aos 28 do segundo tempo. Após ser driblado no lado do campo, o lateral perseguiu Hyoran até a região central e deu um carrinho para tentar evitar a finalização. Ele imediatamente ficou estirado no gramado.

    Sem condições de permanecer em campo, Léo Moura foi carregado na maca com a mão na coxa esquerda e expressão de muita dor. Ele foi substituído por Luciano.

    Léo seria o lateral-direito reserva contra o Palmeiras na terça-feira, às 21h30, na Arena, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores. Sem o veterano, Galhardo passa a ser a alternativa número 1 no banco.

    Visando o jogo decisivo em breve, o elenco gremista se reapresentou para trabalhos às 15h deste domingo, no CT Luiz Carvalho, e encerra a preparação na segunda, no mesmo horário.

    Fonte: GloboEsporte.com

     

  • Grêmio leva “lições” do jogo contra o Palmeiras para a decisão da Libertadores

    Fechar espaços e tentar parar Dudu são os pontos que time gaúcho tem que melhorar

    Empate em 1 a 1 entre os reservas do Grêmio e o time misto do Palmeiras na noite de ontem, na Arena, pelo Brasileirão deixou lições ao Tricolor para a decisão da Libertadores. Nada de conceder espaços para os comandados de Felipão saírem em velocidade. Principalmente com Dudu em campo.

    A ordem foi expressa por Renato Gaúcho minutos após a partida, já de olho no jogo de ida das quartas de final, às 21h30 da terça-feira, na Arena, novamente contra o Verdão. E terá de ser cumprida a risca, ainda por se tratar de um mata-mata com gol fora de casa como critério de desempate.

    Neste sábado, o Tricolor sofreu com essas duas armas do Palmeiras durante todo o primeiro tempo. E como.

    O Grêmio posicionou-se no campo de ataque, mas foi pouco efetivo para ameaçar Weverton. Trocava passes de um lado para o outro e perdia a bola. No erro, o Palmeiras encontrava espaço de sobras para acelerar o jogo e aproveitar buracos deixados pelos gaúchos no campo de defesa. A armadilha paulista atrapalhou a estratégia da equipe de Renato Gaúcho.

    O Palmeiras tem jogadores rápidos, inteligentes. No momento em que você dá espaço para jogadores inteligentes, traz muitos problemas. O Grêmio não se encontrou. O Palmeiras se fecha e sai rápido nos contra-ataques – disse o técnico Renato Gaúcho durante a coletiva.

    Foi assim que o Dudu abriu o placar. Thaciano perdeu a bola no campo de ataque. O Palmeiras precisou de seis toques na bola para encontrar o camisa 7 na direita.

    Bruno Cortez, que estava no ataque, não conseguiu acompanhar o contra-ataque e Romulo perdeu na corrida para o atacante. Já na área, só teve o trabalho de driblar David Braz e mandar no canto direito de Julio César. O espaço concedido preocupou o treinador.

    O Dudu é um grande jogador, de seleção. Bem diferenciado. Muito bom mesmo. Ele teve espaço que no segundo tempo não mais. O que fiz não falarei. Temos que tirar o máximo de espaço. É jogador diferenciado. Se der mole, ele decidirá – alerta Renato.

    As brechas, aliás, ficaram evidentes. Principalmente pelas laterais. O Grêmio subia, parava no bloqueio palmeirense e corria riscos. Os visitantes avançavam em velocidade e Dudu jogava às costas de Cortez.

    Os problemas só não ficaram piores porque Julio César operou um milagre. Léo Moura tentou recuar uma bola ao goleiro, mas entregou para Borja. O colombiano chutou, mas Julio evitou que o placar fosse ampliado.

    Para o segundo tempo, Renato tratou de corrigir o problema. O Grêmio conseguiu fechar espaços na defesa e encontrou o gol de empate com David Braz, nos acréscimos, em um belo gol chutando de fora da área.

    Renato sabe que não há margem para falhas na próxima terça. O técnico, aliás, já tinha alertado o grupo antes do duelo de sábado. Os trabalhos de domingo e segunda servirão para acertar o posicionamento, compactar a equipe e nada de deixar os espaços, tão repetidos pelo ídolo gremista.

    Antes mesmo desse jogo, havia falado. Na próxima terça-feira, o gol é qualificado. Tem que tomar cuidado. A equipe toda do Palmeiras é muito boa. Eles são letais. No momento em que eles têm três oportunidades, guardam uma. Mas o Palmeiras também tomará bastante cuidado com o Grêmio. Teremos muitas emoções nos 180 minutos. Haja coração. Tem o gol qualificado e tentaremos evitar, mas depois jogaremos em São Paulo – apregoa.

    Renato terá esses poucos dias que antecedem o jogo para apontar onde ocorreram os erros e como o Palmeiras joga. Além, claro, de um time mais encorpado, para conquistar um resultado positivo e ter mais tranquilidade para a partida em São Paulo.

    As correções de rumo no grupo gremista já ocorrerão neste domingo, às 15h, no Centro de Treinamentos Presidente Luiz Carvalho, quando terá a reapresentação. Afinal, na próxima terça, às 21h30, na Arena, o Tricolor repete a dose contra o Palmeiras, mas dessa vez pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores. E sem espaço para erros.

    Fonte: GloboEsporte.com

  • Grêmio e Palmeiras empataram em 1×1 na Arena

    Time gaúcho perdia por 1×0 até poucos minutos do fim da partida, quando empatou

    Com times reservas, em virtude dos jogos mata-mata decisivos, Grêmio e Palmeiras empataram em 1×1 na Arena.

    O Palmeiras abriu o placar com Dudu aos 14 minutos do primeiro tempo, com poucas chances de gol para o time gaúcho, mas, em geral, foi um primeiro tempo fraco, embora o Palmeiras pudesse ter matado o jogo no primeiro tempo.

    No segundo tempo, o Grêmio melhorou. Renato Gaúcho mexeu na estrutura do time, botando um time mais ofensivo, já que uma derrota em casa não estava nos planos. O jogo permaneceu com vitória alviverde até 43 minutos do segundo tempo, quando, em jogada de lateral, David Braz recebeu a bola e acertou um belo chute de fora da área, fazendo um golaço e empatando a partida. Na entrevista pós-jogo, o jogador gremista autor do gol disse que o gol foi uma homenagem ao pai (cujo nome também é David Braz), cujo aniversário é amanhã.

    O time palmeirense reclamou de um lateral, que deveria ter sido cobrado pelo Palmeiras e desse lance saiu o gol de empate do Grêmio. O técnico do Palmeiras levou cartão amarelo por reclamação desse lance.

    Após o empate do Grêmio, o Palmeiras ainda tentou empatar, mas Paulo Miranda cortou o ataque palmeirense.

Botão Voltar ao topo